quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

As pequenas revelações reveladoras

O Sr. Godofredo Violante (PTB) que esteve ontem na rádio Cultura pediu desculpas ao ex-colega de governo Leone, Cezar Maciel (PC do B), que telefonou ao programa Sem Censura para elogiá-lo. E do que o paulista, Godofredo, se desculpava com Cezar Maciel? Vejam, suas palavras:

"Você [Cezar Maciel] me desculpe o horário que eu marcava as vezes para RECEBÊ-LO sete horas da manhã." O que revela essa pequena revelação do senhor que recebia as 7 horas da manhã o colega? Que ele é um profissional que as 7 horas já estava dando expediente? Talvez. Mas alguns detalhes exposto aí diz muito mais: 1) que ele, o paulista, Godofredo, estava em posição de receber e não se reunir com um igual, no caso o Cezar, que como ele era secretário. Tá certo que Cezar Maciel era um patinho feio do governo Leone, sobretudo, no inicio da gestão, e a ele não deveria se dar muita atenção, como ficava claro. Mas pô homem do partido comunista estava telefonando-lhe para fazer um elogio público, não merecia ser preservado de tal exposição? Era momento subir em cima do ex-colega, mesmo com certa sutileza?

Falei com o Cezar a respeito da revelação do colega na rádio ontem, ele um tantinho constrangido me disse que tudo bem o esporte não tem mesmo muita atenção que entendia como era tratado, afinal o esporte é pouco reconhecido etc e tal. Está claro que foi lhe constrangedor a fala. Pois é, ficou revelado qual era o tratamento então que o senhor Godofredo dava ao secretário, portanto, a sua pasta. É como ele disse encerrando a falta na rádio sobre o secretário "era o momento que nós tinhamos".

Bem, aí um bobinho diz "Leonardo está pegando no pé do paulista". Que nada eu só trabalho com os acontecimentos e se eles me dizem mais que alguns inocentes conseguem perceber, no início, sinto muito. Mas tarde estes mesmos costumam chegar para mim e dizer como é que você sabia que tal pessoa não valia nada e tal. Digo-lhes olhando além superficiais aparecias.

E quando alguém quer chamar atenção para um detalhe específico, um acessório supostamente superior seu, aí é que eu olho bem para o sujeito no geral. Dar expediente cedo pode ser no caso como vimos positivo ou como vimos ser a sobra de horário que se dava para o secretário de esportes. E mais: a revelação do detalhe em que o Cezar era quem solicitava um horário na sua agenda, expõe-lhe, revelando superioridade do Sr. Godofredo tinha na relação. Mas também expõe o oportunismo de aproveitar a participação elogiosa do colega num gesto até de humildade deste para expor, assim, vocês sabem, sem querer, a superioridade no governo. Se o Sr. Godofredo Violante, que tem um forte sotaque paulista (sem preconceito, sotaque é sotaque) ficasse na sua fala inicial quando começou dizendo do bom convívio com o colega seria um gesto de grandeza [não arrogância] e humildade, mas é besteira querer que os outros sejam o que não são. Aliás, tive a oportunidade de conhecer mais este senhor na campanha do João Batista (DEM), que ele começou coordenando.
Postar um comentário