VISITE ANTES DO LANÇAMENTO PARA CONHECER E ESCOLHER O SEU LOTE

sábado, 14 de agosto de 2010

Minha Casa, Minha Vida: como se constrói uma mentira e como a imprensa acaba caindo

Leiam trecho do que escrevem Daniela Lima e Graciliano Rocha, na Folha, Volto em seguida:
por: Reinaldo Azevedo

Minha Casa, Minha Vida tem problemas em Estados

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, minimizou o fato de apenas 1,2% das unidades contratadas pelo Minha Casa, Minha Vida para quem ganha até três salários mínimos - faixa que concentra 90% do deficit habitacional do país- terem sido concluídas até agora. Para Dilma, o foco não deveria ser na conclusão dos imóveis, mas nos índices de contratação. “Estamos dando um show porque tem mais de 500 mil [unidades] contratadas, quando se dizia que não conseguiríamos 200 mil”, afirmou a petista.

A avaliação de Dilma, porém, contrasta com a de especialistas. Paulo Simão, presidente da CBIC [Câmara Brasileira da Indústria da Construção], parceira da Caixa na execução do programa, disse que os índices de contratação em alguns Estados são “um desastre”. “O Ceará, por exemplo, só perde para o Amapá. Mandamos o nosso pessoal para lá hoje, para saber por que os índices estão tão ruins.” Na faixa de renda de zero a três salários mínimos, em dez Estados o índice de contratações está em menos de 40% da meta.

No Amapá, a meta é de 4.589 imóveis, mas apenas 15 haviam sido contratados, o equivalente a 0,3%.
Ontem a Folha mostrou que Caixa Econômica Federal omitiu dados referentes à conclusão dos imóveis, segundo a faixa de renda a que se destinam. Os números obtidos pelo jornal constavam de balanço referente ao dia 30 de junho, divulgado apenas a parceiros do programa. Questionada sobre a omissão dos dados pela Caixa, Dilma respondeu: “Aí você pergunta para a Caixa. Não tenho a menor condição de responder. Se não mostrou, está errado porque a Caixa tem um dos melhores desempenhos dos últimos anos em matéria de habitação”, disse.

O objetivo do programa é contratar 1 milhão de imóveis até o fim deste ano -até o fim de junho, 520.943 imóveis haviam sido contratados. Aqui

Comento
A Folha, sem dúvida, prestou um serviço à verdade dos fatos ou escarafunchar os números do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Mas o trecho da reportagem que vai em negrito cede à mentira oficial, certamente sem querer.

Não! A meta não era “contratar” um milhão de casas coisa nenhuma! O que se prometeu, e muito desconfiaram à época do lançamento do programa, era construir um milhão de casas - coisas que a propaganda oficial, até outro dia, sugeria possível. Aliás, mais de uma vez, o governo já se jactou de ter “construído” um milhão de casas e de já planejar mais dois milhões.

É assim que o PT vai se consolidando: muda a promessa da noite para o dia, transforma o insucesso e êxito e vê propagar a sua verdade, que é o que se chamava antigamente de mentira.
Postar um comentário