domingo, 20 de fevereiro de 2011

Segurança Pública se discute com a iniciativa privada? Bem, prazer em apresentar este FATO e esta IMAGEM que dizem mais que um 1.000.000 de palavras

(data orginal da postagem 22/04/09, às 06:00)

Leiam a matéria do jornal O Centro de Minas, texto em vermelho, comento em seguida:

 O plano municipal de governo para melhorar a segurança pública em Sete Lagoas, começa a ser colocado em prática. Na terça-feira (14), o prefeito Maroca, os secretários Estevão Bakô (Planejamento, Orçamento e Gestão), Maria Lisboa (Educação), Gustavo Paulino (Indústria e Comércio e Turismo) e Ricardo Lúcio (Administração), receberam o ex-comandante geral da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel Severo Augusto e o coronel Gontijo, ambos consultores na área de Segurança Pública quando vários assuntos estiveram em pauta. O encontro faz parte do projeto de maximização do uso de tecnologia de ponta para melhor da qualidade da segurança pública dos munícipes de Sete Lagoas.


 Além da ampliação da Guarda Municipal Escolar e Patrimonial, segurança eletrônica e unificação das polícias foram discutidos. Nos próximos dias, Sete Lagoas deverá dar início a um grande projeto para a redução da criminalidade e melhorias da segurança pública municipal.


Comento
Pois é, tá aí mais um retrato que representa muito bem o que é e que será o tipo de política do Maroca para Sete Lagoas. A foto acima do chefe do Executivo, Mário Márcio Campolina Paiva, reunido com os consultores privados, coronel Severo Augusto da Silva Neto e o coronel Gontijo, não deixa dúvida de qual é a escolha do prefeito. Ele, Maroca, escolheu tratar de segurança pública com a iniciativa privada à tratá-la com as Forças Policiais constituídas pelo Estado. E vejam só um detalhe absurdo dizer que se está tratando com consultores de "unificação" de polícias, nem que fosse apenas integração.

Isso revela ou que Maroca não tem confiança no trabalho do governador Aécio Neves, em relação a segurança pública ou ele prefere implantar uma política particular para Sete Lagoas que corresponda a sua visão isolacionista de "suficiência interna" (termo expresso em sua entrevista ETV)? E a opção do prefeito que foi buscar os serviços do Sr. Severo Augusto mostra que ele, prefeito, escolheu uma política própria e bem distinta da praticada pelo governador do Estado de Minas, o Sr. Aécio Neves da Cunha. Ou se não, leiam a seguir a opinião de Heloísa Bizoca Greco, membro do grupo "Tortura Nunca Mais", sobre a política implementada pelo Sr. Coronel no governo de Itamar Franco, em Minas:

Nos últimos quatro anos, o Coronel Severo primeiro foi Comandante de Policiamento da Capital e depois Chefe do Estado Maior da Polícia mineira. A política de segurança pública nesse período foi caracterizada pelo aumento exponencial de violações aos direitos humanos, inclusive com casos de tortura e aumento da violência policial. ELE SE NOTABILIZOU POR SER POLICIAL DE RICOS (...) Para ver a entrevista completa da Sr. Heloísa clique AQUI.
Para quem não se lembra o coronel Severo foi o escolhido para o cargo de subsecretário nacional de Segurança Pública em 2003, pelo então ministro do Lula, Nilmário Miranda - o nosso ministro humanista que se calou diante das excussões de opositores de Fidel ocorridas na época em Cuba. Porém, a escolha do coronel Severo foi prontamente rejeitada pela sociedade, ele acabou sem o cargo, como mostra a reportagem "Acusado de tortura tem nomeação suspensa", da Folha de São Paulo. Em Sete Lagoas ele vai conseguir vender os seus serviços? Pelo visto a resposta é sim.

Essa é mais uma atitude reveladora do Maroca, aliás, eu volto a repetir Maroca fala nada quase, mas suas atitudes dizem tudo. Bem, o Sr. governador Aécio Neves, vai aceitar uma política tão hostil e arrogante com as suas Forças policiais? Os comandantes das Polícia Civil, Militar, a sociedade civil e a Câmara de vereadores vão ficar caladas diante disso? Aqui temos gente séria fazendo um bom trabalho como o Comandante Junior da Polícia Militar e o Dr. Pedro Loureiro, Delegado Regional de Segurança Pública. Ademais, sem querer minimizar a contribuição que pode dar o município, Segurança Pública é atribuição constitucional do governo do Estado, assim, creio, o estado aceita de bom grado ajuda jamais usurpação de suas responsabilidades, não é mesmo?

Eu chego a ficar um tanto espantado com a ingenuidade de certos parlamentares. Outro dia testemunhei um vereador que tenho respeito por ele dizer: "eu conheço Maroca ele tem as melhores intenções, o problema é que ele tem tomado barrigada dos secretários", deu pra ver o quanto esse crente edil conhece do Mário Márcio Campolina Paiva. Não, nem preciso fazer juízo de valor das intenções do Maroca, porque agora elas já estão deixando de ser intenções para se tornarem realidade para todos verem. Questiono é como um parlamentar, que sei, mal conhece o cidadão Maroca, pode arriscar a dizer isso. É meu caro parlamentar, tem que tomar cuidado e aprender a enxergar além do verniz exterior. Uma tarefa não apenas sua, mas de todos nós que queremos o bem e a equidade em Sete Lagoas.

É PRECISO APRENDER DEPRESSA A LIÇÃO E REAGIR IMEDIATAMENTE.
(Publicado originalmente domingo, 19 de Abril de 2009, 21:36)
Postar um comentário