terça-feira, 1 de junho de 2010

POIS É, MEUS NOBRES

Não tem como fingir mais que nada está acontecendo depois que o tucando de alta plumagem disse que a cidade tá quebranda, não é mesmo Marcelo de Copooperseltta (PMN), Renato Gomes (PV), Reginaldo Tristeza (PSOL), João Pena (PMDB), Caio Dutra (PMDB), Toninho Rogério (PMDB), Gilberto Doceiro (PMDB), Milton Saraiva (PP), Euro Andrade (PP), Duílio de Castro (PMN), Claudinei Dias (PT), Dalton Andrade (PT), Celso Paiva (PT)? O cara foi abrir o bico de tucano dele, acabou deixando vocês, coitados, numa situação difícil.

Ele foi abrir bico grande dele para tentar amolar, daqui a pouco vocês teriam que se ocupar mental e fisicamente com essa grave situação que ele mostrou, mas imagina se ele vai conseguir amolar vocês. Que isso, de jeito nenhum! Aliás, eu até pensei numa forma de vocês não terem que se envolver com esses problemas: finjam que não é com vocês.

Assim, vocês poderão continuar aí parados cuidando apenas dos interesses localizados como os carguinhos, um atendimentozinho para um amigo aqui outro ali, sem ter de se importar detidamente com esses pormenores mais complexos.

Afinal, pensando bem, o que tem de grave nesse negócio de ter os recursos de Sete Lagoas retidos pela Governo Federal? O importante meus nobres é vocês terem garantidos as verbas para vocês aí na Câmara.

Daí me veio mais uma ideia para vocês se livrarem definitivamente desse problema, vejam, mais do que fingir que a coisa não é com vocês, façam de conta que a coisa não existe. "Da pra fazer", como diz o meu xará populista Leonardo Quintão (PMDB). É tudo uma questão de aprender a lidar mentalmente com a coisa. Aí pronto: fazendo assim até aquele desconforto que eu falei lá na primeira frase do texto acaba, é só mudar o não pelo sim, veja como fica: sim tem como fingir que nada está acontecendo.
Postar um comentário