sexta-feira, 16 de julho de 2010

ARENA DO JACARÉ. CHEGOU O GRANDE DIA, MAS...

Hoje vou fazer diferente na abertura, tornando grande parte das palavras que estão no artigo de Emílio de Vasconcelos Costa as minhas palavras. Seu texto que trata da "re-inauguração" da Arena do Jacaré, ontem 15 de Junho de 2010, é oportuno. Quanto as palavras que discordo são as que diz que "prestígio de nosso prefeito junto ao governo ajudou". Não é o que esta claro para mim, por tudo que vi o prefeito fazer, e também por conhecer a opinião do staff do governo sobre a sua reputação, diga-se, bastante sofrida do prefeito junto a eles.

Mas, calma não conclua que vou descordar disso só para não reconhecer o mérito do prefeito. Não, não, o Maroca tem grande mérito nesta conquista da nova Arena do Jacaré, mas o seu mérito não está num suposto"prestígio", está em algo muito melhor e realmente digno de valor: o seu esforço, o trabalho duro, vontade e garra demonstrado o tempo todo em sua luta para viabilizar esse "novo" Estádio. Ah, e refiro-me a prestígio compreendido como reconhecimento pelo trabalho e não o fato dele pertencer ao partido do governo, que para quem não entendeu ainda, isso, realmente, não significa nenhum privilegio, favores... junto ao governo do estado atualmente, tanto o de Aécio quanto agora o de Anastasia.

O que é meritório em Maroca nesse caso é o seu trabalho, a meta perseguida para o esporte. Coisa que faltou largamente em outras áreas, como saúde - Hospital Regional atrasado -, educação - 4 escolas fechadas -, e saneamento - num esforço inútil no SAAE, ao invés de buscar a parceria imediata com a Copasa.

E óbvio, outros também merecem serem reconhecidos nesta conquista, e eu o faço a todos tanto os que sei que merecem, quanto os que eu desconheço o mérito, parabenizando o nosso, este sim, prestigiado, pelo talento, o jornalista Chico Maia. A seguir leiam o qualificado artigo de Emílio de Vasconcelos Costa:

*

15 de junho de 2010. Data para entrar na história. Jogo do Atlético Mineiro x Atlético Goianiense pela primeira divisão do campeonato brasileiro de futebol re-inaugura a reformada e ampliada arena do Jacaré em Sete Lagoas. Nossa cidade se insere firmemente na grande mídia nacional.

É verdade que muita coisa ainda falta ser feita ou concluída. Falta terminar o novo bloco das arquibancadas. Pavimentar a nova rampa de acesso aos portões 3 e 4. Tem ainda uma nova bilheteria a ser feita. Uma melhor limpeza e acabamento nas ruas e passeios do entorno. Melhoria nas ruas de acesso.

Também é verdade que muita coisa que deveria ter sido feita e parece que não o será mais. Quando de sua ultima vinda a Sete Lagoas, o governador do estado anunciou a liberação de R$ 1.000.000,00 para o recapeamento da Av. Perimetral da Av. Castelo Branco até a R. Equador e até agora nada. Também não se vê ou se tem notícia de pontos de ônibus cobertos, seguros, confortáveis e bem localizados para os setelagoanos e mesmo para os visitantes no local.

Também como é verdade que muita coisa foi feita e deve ser reconhecida. A iluminação ficou uma beleza. Assim como toda a reforma da Arena. Os estacionamentos e a iluminação destes, idem. Placas de orientação foram colocadas. É preciso enaltecer o investimento do governo do estado. Verdadeiro presente para a cidade. Reconhecer que o prestígio de nosso prefeito junto ao governo ajudou. Bem como o trabalho do novo Comitê Gestor do Democrata e de sua diretoria.

Mas e o retorno imediato e permanente de tudo isto? Não é somente a divulgação da cidade, o prestígio e o conforto que a obra proporciona. Falo da vinda de dinheiro para a cidade. Não o dos ingressos que vão para os clubes e para a ADEMG.

Vejamos: A delegação do Atlético Goianiense chegou pelo aeroporto de Confins e se hospedou em Belo Horizonte. Teve que pegar ônibus depois para vir a Sete Lagoas e retornar a Belo Horizonte, nova hospedagem em BH e daí novamente para confins. Trouxe dinheiro de Goiás e gastou em Belo Horizonte. Por que não aqui em nossa Sete Lagoas? Serão mais de 50 jogos e 50 times de outros estados a jogar aqui pelas duas divisões. Mais de 30 pessoas por delegação. Soma-se a isto, centenas de representantes dos órgãos e imprensa que virão cobrir estes times e estes jogos e chegaremos a mais de 5.ooo diárias de hotel e mais de 20.000 alimentações. Fora o que estes “hospedes” podem gastar em nosso comércio e serviços.

A prefeitura, nossos administradores, devem ser indutores, coordenadores e atores de ações para a cidade. Não se tem notícia de trabalho junto aos clubes e mesmo junto à CBF, para oferecer a cidade, nossos hotéis e campos de treinamento. Nem junto a nossa rede hoteleira. Também não custaria tanto a colocação de painéis e quiosques na Arena para divulgar nossos atrativos para os torcedores de fora permanecerem mais tempo na cidade e deixarem aqui o dinheiro que tanto faria bem para nós os setelagoanos. Público nós teremos.

São milhões que podem estar deixando de vir. Falta profissionalismo por parte de nossos governantes locais. Infelizmente não é assim que vamos nos transformar em sub-sede da próxima Copa do Mundo. Estaremos perdendo mais uma grande oportunidade?

Mas..., ainda há tempo. Ficam os parabéns e o reconhecimento, mas fica o alerta. Mais do que isto, a sugestão. Mais ainda, o apelo.
Postar um comentário