sexta-feira, 9 de setembro de 2011

SETE LAGOAS PODE PERDER JORGE CORRÊA NETO. MAROCA NÃO SUPORTA A SUA COMPETÊNCIA, POIS, EXPÕE TODA SUA MEDIOCRIDADE E FRAQUEZA


A se confirmar a saída do secretário Jorge Corrêa Neto do governo Maroca o responsável direto pela iniciativa do profissional é o próprio Sr. Mário Márcio Campolina Paiva. Ele criou o ambiente de hostilidade ao secretário.


É notável que ele Maroca não engole Jorge, o que lhe incomoda? A competência, o brilho profissional do secretário. A sua visibilidade expõe, pois, toda a mediocridade deste prefeitinho de visão retardatária. Isso ficou premente na inauguração da UBS - do bairro Luxemburgo no último dia (27/08). Em seu discurso o prefeitinho não citou o nome do responsável pelas transformações na saúde em Sete Lagoas, o Sr. Jorge Correa Neto, referindo-se apenas ao seu cargo. Um gesto nítido de menosprezo, distanciamento. 

E a tentativa de desprestígio do profissional ficou mais claro (para quem sabe perceber os sinais) quando o prefeitinho preferiu reconhecer a equipe da secretaria ao seu titular. Equipe que hoje tem mérito, claro, e merece ser reconhecida, mas não em detrimento de quem a organizou. 

A se confirmar a saída do respeitável secretário de saúde fica exposto toda a máxima mediocridade deste individuo que hoje ainda é o chefe do Executivo em Sete Lagoas: ele não sabe dar o respeito e prefere sucumbir o seu governo ao seu despeito pessoal. 

Perde a população alguém lhe soube dar o respeito que ela merce, mas nunca teve nesta cidade até a sua chegada. E aqui vai um alerta para ingênuos: o governinho confirmando a saída de Jorge vai tentar arrumar um jeitinho de dizer que o secretário havia se desgastado com a pasta "pessoalmente". O Hospital Municipal mesmo é sempre um álibi pronto para o medíocre governo usar e justificar o porquê da saída de alguém do alto escalão da saúde com Jorge Corrêa Neto. Podem tentar dizer que o secretário está desgastado etc, que "principalmente as dificuldades" no hospital o levaram a querer sair

Mas o senhor prefeitinho pode tirar o seu cavalinho da chuva que essa desculpa não cola. Jorge estava super motivado com o trabalho e as conquistas para a população. Incomodado estava ele Maroca, com, acredite, esse desempenho que colocava a população em primeiro lugar e Jorge junto com ela, ficando o prefeitinho numa posição subalterna, não por conta que Jorge lhe afrontasse, mas porque quem revela-se competente  neste governo expõe a sua incompetência e a fraqueza deste prefeito. Triste, não para o competente Jorge, pois a grande vítima neste caso pode ser a população com a sua saída. Ah, o governinho também adianta o seu funeral.
Postar um comentário