quarta-feira, 7 de agosto de 2013

COMPRAR IMÓVEL HOJE EM BELO HORIZONTE É UM BOM NEGÓCIO? DEPENDE! ME LIGUE QUE CONVERSAMOS PARA SABER SE É O MELHOR NEGÓCIO PARA VOCÊ. NÚMERO? 8817-5000 - LEONARDO BARROS. INVESTIMENTO, NA PLANTA, PRONTO, PARA INVESTIR

Preço de imóvel usado cresce o dobro da inflação

Segundo o Índice Fipezap, enquanto os valores dos imóveis subiram 7,3%, em média, no acumulado do ano, a variação do IPCA-15 foi de 3,52%


Apesar de todas as atenções dos investidores estarem sempre voltadas para os lançamentos, os imóveis usados têm sido uma grande opção para aplicar o dinheiro.
Em 14 das 16 cidades pesquisadas o aumento nos preços anunciados do metro quadrado foi maior que a inflação em 2013 (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)
Isso porque o preço médio do metro quadrado dos imóveis residenciais usados cresceu mais do que o dobro da inflação registrada no ano.
Segundo o Índice FipeZap, enquanto os valores dos imóveis à venda nas 16 cidades pesquisadas acumularam alta de 7,3% em julho em relação a janeiro, a variação do IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), referência para medir a inflação oficial no país, foi de 3,52% no mesmo período de comparação.
Em 14 das 16 cidades pesquisadas o aumento nos preços anunciados do metro quadrado foi maior que a inflação em 2013.
Ainda segundo o índice, os imóveis usados em Curitiba anotaram a maior alta no acumulado do ano, com 18,5%. A valorização, aponta o levantamento, foi impulsionada pelos bairros de Água Verde e Bigorrilho.

“Estes lugares têm um peso maior no índice e, por isso, puxaram a média da capital paranaense para cima. Mas, temos de entender que é um cenário de recuperação. No ano passado, Curitiba estava muito abaixo da média nacional”, explicou Eduardo Zylberstajn, coordenador do FipeZap.
Leia também:
Após Curitiba, as principais altas nos preços dos usados foram verificadas em Vitória (10,1%), Rio de Janeiro (9,3%), e Florianópolis (8,1%). Já São Paulo acompanhou a média nacional e subiu 7,3%.
Na contramão deste cenário, Brasília, com 1,4%, e Belo Horizonte, com 1,8%, registraram o menor aumento no mesmo intervalo analisado.
Postar um comentário