VISITE ANTES DO LANÇAMENTO PARA CONHECER E ESCOLHER O SEU LOTE

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

AEROPORTO DA PAMPULHA EM BH - HISTÓRIA E MUITO MAIS

Aeroporto da Pampulha: a decolagem de BH para o mundo
Publicado em 26/08/2013 10:24:21



Mesmo antes de ter oficialmente um aeroporto, Belo Horizonte teve a oportunidade de presenciar seu primeiro sobrevoo em abril de 1912. Nos céus de onde hoje é o bairro Prado, em um avião monoplano tipo Blériot, o piloto italiano Ernesto Dariolli realizou uma demonstração de voo que marcou definitivamente a história da aviação na capital. Após duas décadas, o primeiro campo de aviação foi construído e acompanhou o desenvolvimento da cidade. O Aeroporto de Belo Horizonte, conhecido também como Aeroporto da Pampulha - Carlos Drummond de Andrade, foi uma das peças fundamentais para a decolagem da capital mineira em diversos aspectos, incluindo as questões econômicas e turísticas, e atende hoje demandas específicas de aviação em pleno contexto urbano.

O primeiro voo realizado no Aeroporto de Belo Horizonte foi em um avião bimotor com capacidade para dois tripulantes e seis passageiros, da companhia aérea Panair, realizado em 23 de março de 1937. O então governador Benedito Valadares e seu secretário Israel Pinheiro, que posteriormente também foi governador de Minas Gerais, estavam a bordo na ocasião. A viagem partiu de BH com destino ao Rio de Janeiro, única rota de concessão comercial permitida na época no campo de aviação da Pampulha. Belo Horizonte viu sua história começar a mudar a partir da inauguração de um centro de voo que fomentaria os setores da economia e do turismo, com facilidade logística. Hoje, o aeroporto atende demandas regionais, com viagens para cidades polo de Minas Gerais e estados vizinhos.

Antes uma fazenda familiar, o terreno que sedia as operações do aeroporto não foi escolhido ao acaso. A grande planície proporcionava boa visibilidade, sendo o espaço perfeito para suas instalações. Essa e outras histórias são contadas no livro “Aeroporto da Pampulha, BH nas asas do progresso”, lançado no centenário da capital mineira, em 1997, ano em que o aeroporto comemorou seus 60 anos.

Voos regionais
Atualmente o aeroporto recebe, em média, 62 mil passageiros por mês, mas tem capacidade para o transporte de 1,6 milhão de pessoas por ano. Como a demanda atual é de táxi aéreo para voos regionais, os dias úteis são os com maior número de voos, sendo 62 pousos e decolagens diários, de segunda a sexta, 27 no sábado e 26 no domingo. Atualmente, as linhas comerciais atendem as cidades mineiras de Araxá, Governador Valadares, Ipatinga, Montes Claros, Uberlândia, as paulistas Guarulhos, Campinas e Ribeirão Preto, além de Cabo Frio, no interior do Rio de Janeiro. Belo Horizonte recebe também voos das mesmas cidades, além daqueles provenientes de Patos de Minas, no Triângulo Mineiro. Ao todo, são cerca de 1.450 voos por mês realizados por duas empresas aéreas que hoje operam no aeroporto.

Obras de melhorias


A Infraero concluiu em junho as obras de readequação da sala de desembarque do Aeroporto da Pampulha - Carlos Drummond de Andrade. Com investimento superior a R$ 219 mil, as obras contemplaram, por exemplo, a ampliação do local, que ganhou uma nova esteira de bagagens, teve o piso substituído, ganhou de monitores informativos e dois novos banheiros. Também foram instalados 19 novos assentos na área comum do aeroporto. Uma nova torre de controle está em fase final de construção. Estão previstas ainda reformas dos pátios de manobras e do sistema elétrico.

Espaço oferece oficinas voltadas ao desenvolvimento artístico

Oficinas voltadas ao desenvolvimento artístico e capacitação em informática, grupos temáticos de educação ambiental e atendimentos psicológicos são algumas das atividades que compõem o escopo de trabalho do projeto Voo para a Cidadania, realizado pela Infraero e que conta desde 2002, ano de seu início, com o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Regional Norte, e da Associação Municipal de Assistência Social (Amas). Cerca de 100 jovens adolescentes, entre 14 e 18 anos e moradores das comunidades Vila São Tomás e Vila Aeroporto, localizadas no entorno do Aeroporto da Pampulha, recebem apoio socioassistencial promovido pelo projeto. Os participantes têm atividades duas vezes por semana, fora do horário de aula. O projeto é realizado na rua Maria Amélia Maia, 270, no bairro São Bernardo.

Drummond, o poeta que dá nome ao aeroporto
Por proposta de um senador mineiro, na época das comemorações pelo centenário de nascimento do poeta e escritor itabirano, em 2002, o Aeroporto da Pampulha recebeu um complemento ao seu nome e tornou-se, definitivamente, o Aeroporto de Belo Horizonte/Pampulha – Carlos Drummond de Andrade. Segundo a justificativa do projeto, a honrosa designação simbolizaria “o respeito e a admiração dos belo-horizontinos pelo autor de ‘Fazendeiro do ar’”. A proposta ainda salientava “os 18 anos passados por Drummond em Belo Horizonte, período em que se lançou como poeta e se profissionalizou como funcionário público, ocupações de que tanto se orgulhava”. O nome passou a valer após a publicação da lei no Diário Oficial da União, em 2004.

Linha do tempo
1933 - Inicia suas atividades para atender voos de escala da chamada Linha São Francisco, realizadas pelo Correio Aéreo Militar, ligando o Rio de Janeiro a Fortaleza. Era considerado, até então, um Destacamento de Aviação.
23 de abril de 1936 - É transformado em Núcleo do 4º Regimento de Aviação. Opera aeronaves do Correio Militar tipo Waco-Cabine, Piper e Beech-Mono, em uma pista de grama com dimensões de 720 x 20 m capaz de receber trânsito de aeronaves tipo Waco-Cabine, Piper e Beech-Mono.
2 de setembro de 1936 - Passa a operar aviação comercial por meio da promulgação da Lei Estadual 76, que autorizou a Panair do Brasil S/A a explorar a linha de comunicação aérea entre Belo Horizonte e o Rio de Janeiro.
23 de março de 1937 - A linha comercial Rio-BH-Rio foi oficialmente inaugurada, sendo utilizado um modelo bimotor Lockeed 10E Electra I, PP-PAS, com capacidade para dois tripulantes e seis passageiros.
1941 - Após a criação do Ministério da Aeronáutica, o Aeroporto de Belo Horizonte é transferido para a Força Aérea Brasileira.
1943 - A pista recebe melhorias, sendo ampliada e concretada, com novas medidas de 1.500 x 45m.
1953 - A pista passa a medir 1.700 metros e o aeroporto recebe balizamento noturno.
1961 – Recebe novas melhorias e a pista passa a medir os atuais 2.540m. Assim, entra em funcionamento no aeroporto o novo pátio de manobras, com capacidade para receber aeronaves de grande porte e os futuros jatos.
1973 - Passa a ser administrado pelo novo órgão federal, a Infraero, e desvincula-se da Base Aérea.
1983 - Pouco antes da inauguração do novo aeroporto internacional, em Confins, o Aeroporto da Pampulha registra um movimento anual de 1,15 milhão de passageiros, entre embarques e desembarques, e 24 mil operações de pouso e decolagem de aeronaves, inclusive Boeings 737 e 727.
1984 a 1985 - Perde consideravelmente número de voos e volume de passageiros com a criação do Aeroporto de Confins.
1986 – Demanda aérea volta a crescer com a criação voos direto ao centro (VDC).
A partir de 1990 - Com a inserção de modernas aeronaves a jato ligando o Aeroporto de Belo Horizonte a outras capitais, um grande número de passageiros volta a utilizar o antigo aeroporto, atraídos pela sua proximidade com o centro da capital mineira.
1992 – O aeroporto volta a dar lucro, alcançando consideráveis índices de passageiros e aeronaves.
1998 - Capacidade chega ao nível de saturação.
Anos 2000 – Aeroporto da Pampulha bate recorde histórico, atingindo 3.073.976 embarcados e desembarcados em 88.737 operações de pouso e decolagens, no início da década. Voos de longa distância foram transferidos da Pampulha para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves em Confins. Segundo a Infraero, na época, a transferência foi importante para responder ao crescimento do número de passageiros nos aeroportos brasileiros, percebida a partir de 2004. Aeroporto da Pampulha é classificado, a partir de então, como um dos principais aeroportos regionais do país.

Serviço
Endereço: Praça Bagatelle, 204, bairro São Luiz, Pampulha
- Acesso pelas avenidas Antônio Carlos e Cristiano Machado

Distâncias aproximadas do aeroporto:
Até o centro da cidade: 9 quilômetros
Até o hospital de emergência mais próximo: 5,7 quilômetros
Até a estação de metrô mais próxima: 4 quilômetros
Até a rodoviária da cidade: 9 quilômetros
Até os centros de convenções Minascentro (10 quilômetros) e Expominas (16 quilômetros)
Postar um comentário