sexta-feira, 21 de outubro de 2011

ALGUNS EM SETE LAGOAS RESOLVERAM COMBATER UMA FARMÁCIA QUE RESOLVEU SERVIR A POPULAÇÃO 24 HORAS POR DIA 7 DIAS POR SEMANA E DEIXA DE COMBATER ÀQUELAS QUE VENDEM IRREGULARMENTE MEDICAMENTOS

Está acontecendo uma polêmica porque a Drogaria Araujo chegou e decidiu ATENDER A POPULAÇÃO 24 HORAS por dia durante os sete dias da semana. Um serviço ininterrupto. As farmácias locais insatisfeitas com a decisão da Araujo resolveram combatê-la. Para isso, alegam que ela não está cumprindo a Lei Municipal 6.695. Entretanto, a Lei é explicita e exige o funcionamento apenas dos plantões não impedindo ela própria o funcionamento de quem quer servir a população como a Araujo está fazendo e qualquer uma farmácia pode decidir fazer. Basta ler o que está escrito na própria Lei.

Aliás, foi isso que eu disse ao mandar minha participação para o programa do Geraldo Padrão, O Povo no Rádio na Rádio Musirama. Dizendo isso acima e completando como um próprio exemplo do representante de uma das farmácias lá na rádio. O senhor Ilacir Amorim, da Lagocenter, que funciona 24 horas por dia e ele só não trabalha nos domingos e feriados de forma ininterrupta porque não quer. No caso especifico ele explicou lá na sua participação ao vivo que seria porque essa lei não permite. Interpretação equivocada a sua, porque a lei, repito, não impede o funcionamento apenas exige a realizações dos plantões diuturnos. Deixando de tratar aqueles que querem trabalhar neles, mas exigindo o cumprimento de acordo com escala feita pela entidade do segmento, veja essa parte do texto:

Art. 2º - Fica obrigatório o cumprimento do Plantão Diurno, de acordo com a Tabela de Plantão, elaborada pela entidade representativa da classe de farmácias e drogarias e submetida à apreciação e aprovação da Superintendência de Rendas Mobiliárias da Prefeitura Municipal de Sete Lagoas.

Ou seja, é livre o funcionamento para quem quer trabalhar. E aqui faço uma observação na fala atravessada do sr. Marcelo da Cooperseltta, o vereador que alguns acham que parece mais um pagodeiro. Bem, ele ao comentar a minha intervenção lá na rádio Musirama sem que eu pudesse óbvio fazer a réplica disse que "as pessoas não entendem o que a gente fala". Errado vereador eu não me guiava e nem me guio pelo que você fala, mas neste caso específico pela letra da Lei 6.695 que segue a íntegra a abaixo.

E mais: o que deve ser fiscalizado por afrontar a Lei de verdade é a venda irregular de remédios que acontece em Sete Lagoas por farmácias que praticam a empurroterapia de medicamentos. A troca de receitas indicando aos pacientes remédios similares, que não são nem os de marca e nem os genéricos. A própria indicação de medicamentos por pseudos farmacêuticos que praticam venda que fere gravemente a lei. Isso sim um crime! 

Para encerrar. O que se conclui com essa nova polêmica do atraso é que a cidade cresce pela força da iniciativa privada, mas as mentalidades atrasadas não evoluem no mesmo ritmo de rapidez.

Segue a Lei:

PREFEITURA MUNICIPAL DE SETE LAGOAS LEI Nº 6.695 DE 06 DE SETEMBRO DE 2002.
DISPÕE SOBRE O SISTEMA DE PLANTÕES PARA FUNCIONAMENTO DAS FARMÁCIAS E DROGARIAS SITUADAS NO MUNICÍPIO DE SETE LAGOAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
O Povo do Município de Sete Lagoas, por seus representantes legais votou, e eu em seu nome, sanciono a seguinte lei:
Art. 1º - Fica estabelecido o sistema de funcionamento das farmácias e drogarias situadas no Município de Sete Lagoas, em regime de plantões para atendimento ininterrupto à população.
Parágrafo Único – Para os efeitos desta Lei, considera-se:

I - HORÁRIO NORMAL - o período de tempo compreendido entre as 8:00 horas e 20:00 horas de segunda-feira a sábado.
II – PLANTÃO DIURNO – o período de tempo compreendido entre as 8:00 horas e 20:00 horas aos domingos e feriados.
III – PLANTÃO NOTURNO – o período de tempo compreendido entre as 20:00 horas de um dia e 08:00 horas do dia seguinte.
Art. 2º - Fica obrigatório o cumprimento do Plantão Diurno, de acordo com a Tabela de Plantão, elaborada pela entidade representativa da classe de farmácias e drogarias e submetida à apreciação e aprovação da Superintendência de Rendas Mobiliárias da Prefeitura Municipal de Sete Lagoas.
Art. 3º – Fica autorizado o Plantão Noturno de farmácias e drogarias já licenciadas pela Prefeitura Municipal de Sete Lagoas.
§ 1º - Através de requerimento e mediante aprovação da Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, poderão outras farmácias e drogarias ser licenciadas para funcionamento em Plantão Noturno.
§ 2º - O estabelecimento incluído no sistema de plantão noturno fica obrigado a cumpri-lo, só podendo deixar de praticá-lo após comunicação prévia de no mínimo 30 (trinta) dias a Prefeitura Municipal de Sete Lagoas.
Art. 4º - É vedado a qualquer estabelecimento, em regime de plantão diurno ou noturno, funcionar em horário diferenciado aos estabelecidos nesta Lei, sob pena de incorrer nas penalidades previstas.
Art. 5º - Fica obrigatório a manutenção de placa, em local visível, indicando horário de início e término do plantão de acordo com os padrões estabelecidos pela Superintendência de Rendas Mobiliárias da Prefeitura Municipal.
Art. 6º - As farmácias e drogarias serão punidas com multa de:
I – R$ 100,00 por iniciar ou terminar o plantão fora do horário
estabelecido nesta Lei;
II – R$ 200,00 por não cumprir o plantão previsto na Tabela de
Plantão;
III – R$ 300,00 por funcionar em horário de plantão, sem a
Licença da Prefeitura Municipal de Sete lagoas;
IV – R$ 300,00 por qualquer outra infração à presente Lei não prevista nos incisos anteriores.
§ 1º - Em caso de reincidência, a penalidade será aplicada em dobro.
§ 2º - Os valores constantes dos itens I, II, III, IV, serão atualizados anualmente pelo IPCA – IBGE, conforme determina a Lei Complementar
Municipal nº 56/2000.
Art.7º - Revogam-se as disposições das leis 2.387 de 25 de Julho de 1979 e 6.055 de 11 de Janeiro de 2000 e os Decretos 742 de 05 de Outubro 1979 e 746 de 16 de Outubro de 1979.
Art.8º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, 06 de setembro de 2002.


ATUALIZAÇÃO MOSTRANDO OS COMENTÁRIOS DOS SETE-LAGOANOS NO FACEBOOK, SOBRE A QUESTÃO

  • Mais Visitado!
    O link mais visitado que publicamos foi esse abaixo sobre a polêmica das Farmácias de Sete Lagoas X a Drogaria Araujo. Motivo: Araujo decidiu atender a população 24 horas por dia 7 dias na semana e despertou com isso ira das concorrentes locais que tentam limitar o seu funcionamento ao padrão local: trabalhar no esquema de plantão elaborado por elas. Enfim, mas parece que a opinião pública de Sete Lagoas não concorda com a limitação e quer é que as farmácias de Sete Lagoas mudem para também atender os consumidores como a Araujo está fazendo. Até o momento 1277 pessoas já visitaram o link abaixo

     ·  ·  · 22 de Outubro às 15:49

    • VEJA ABAIXO: 92 PESSOAS CURTIRAM ISSO.
    • 1 compartilhamento

      • Nilson Junior Temos que acabar com esse cartel das farmácias!
        22 de Outubro às 15:51 ·  ·  3 pessoas

      • Diogo Oliveira Medíocres querendo que todos compartilhem de sua mediocridade.
        22 de Outubro às 15:57 ·  ·  1 pessoa

      • Neide Corrêa SERA QUE A POPULAÇAO NAO ESTA SOMENTE DESLUMBRADA COM O NOVO?
        22 de Outubro às 16:01 · 

      • Marcia Faria AQUI OS CORONEIS EM SETE LAGOAS TEM UM DEFEITO MUITO GRANDE ACHAR QUE SETE LAGOAS É SÓ DELE QUE NÃO PODE ENTRAR CONCORRENTE PARA MELHORER O SERVIÇOS JUNTO A FARMACIAS.PARECE QUE ATÉ É UMA MAFIA BRANCA.
        22 de Outubro às 16:01 ·  ·  2 pessoas

      • Julinei Almeida Esse rodízio ao funciona!!!! É bom para o empresariado local acordar!!! Ou Entao seremos uma Sete Lagoas de Franquias e rede de fora da cidade!
        22 de Outubro às 16:04 ·  ·  1 pessoa

      • Anderson Luiz Por isso que saí dessa cidade!!!! Tudo é monopólio!!! Dinheiro nas mãos de poucos!!! Araújo tem que entrar com tudo mesmo!!!!!
        22 de Outubro às 16:05 ·  ·  1 pessoa

      • Julinei Almeida E Outra...A Araujo funciona com Liminar em cima de Liminar...vai importar com Lei Muninipal?Se ele nem se importa com Leis federais??? Faz-me rir!!!
        22 de Outubro às 16:06 ·  ·  1 pessoa

      • Marcia Faria EXTAMENTE TODO É MONOPÓLIO MAIS JA ESTA ACABANDO POR SETE LAGOAS ESTA CRESCENDO E TRAZENDO NOVIDADES E POVO DAQUI GOSTA DE NOVIDADES E COMO GOSTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
        22 de Outubro às 16:08 ·  ·  2 pessoas

      • Moniquinha Glicéria Sete Lagoas tem que deixar de ser uma cidade mesquinha! Tem crescer bastante mesmo. A população precisa de qualidade de vida! Trabalhar aos domingos não significa ser ambicioso e sim saber que parte da população só tem os domingos e feriados nacionais para fazer compras! Pois trabalham no restante dos outros dias do ano pra manter o luxo desses que não pensam na populaçao como um todo!
        22 de Outubro às 16:16 ·  ·  3 pessoas

      • Mariane Vasconcelos Mente pequena que chama, infelizmente alguns da espécie humana estacionam no quesito evolução...
        22 de Outubro às 16:32 ·  ·  1 pessoa

      • so sei que quem precisar de contador eu indico kkkkkkkkk
        22 de Outubro às 16:39 · 

      • Leonardo Barros Essa luta em defesa do consumidor de remédios - todos nós - tem algumas questões parecidas com a batalha que ajudamos pela instalação da AmBev em SL. Porque ALÉM dos pés pequis que impediam a instalação da fábrica havia questões como essas:

        AMBEV - Leitor diz que tem "muito interesse $$$ em torno desta fazenda". É?

        Leitor que se identifica como Marcelo Soares, diz que eu sou inteligente e as vezes inocente... como tem três pontos no final, ele deve pensar coisas mais fortes a meu respeito, apesar do tratamento amistoso.

        Pô, se você sabe "que tem muito interesse $$$ em torno desta fazenda" - local proposto para abrigar a fábrica da AMBEV - ajude-me e a toda sociedade também a sermos menos inocentes: revele quais são os interesses ocultos existentes. melhor: se você diz que é só perguntar ao vereador (...) faça mais, peça a esse edil para contar a toda sociedade sete-lagoana quais são as tramoias existentes. Mais: exija que ele faça isso já! Do contrário todos continuaremos inocentes, confiantes. Aliás, a presunção de inocência é base do estado de direito; como fiscalizar é um direito dentro do estado democrático - uma obrigação.

        Marcelo diz também que se eu sugerir a mudança de local proposto para instalação eles vão me expurgar. Talvez ele não tenha reparado, mas, quando eu critiquei os gestores do município por não terem planejado todos os detalhes, obviamente, nesta crítica refiro-me ao escopo global do projeto, localização inclusive.

        Mas se a sua argumentação genérica configurar, como ele quer, a evidência de um crime que se está cometendo, então é melhor começarmos a falar também da instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, e não só da instalação de uma fábrica, não é mesmo?

        Ele, aliás, pede para eu procurar "saber o porque deste desespero em prol da instalação da AMBEV." Eu sei que tem muita gente séria, sim, preocupada mesmo com a instalação desta planta, incluo-me entre eles.

        E não é para estarmos mesmo muito preocupados, sabendo que podemos deixar de gerar ao menos 800 empregos em nossa cidade? Deixar de ter uma empresa que está entre as que oferece uma das remunerações mais agressivas do Brasil, para manter os melhores quadros? Uma organização que pode contribuir para melhorar a competitividade empresarial da cidade, trazendo uma cultura dinâmica e ajudar a "expurgar" de uma vez por toda a cultura do arcaísmo que emperra o desenvolvimento?

        "Ora, Leonardo, e se tiver maracutáia?" Uma coisa não exclui a outra, meu caro. Temos que continuar preocupados e lutar para garantir a vinda da empresa e também com a correção dos desvios de conduta, se houver. Disposição para fiscalizar não me falta. Se alguém tiver dúvida da disposição que tenho em fiscalizar e denunciar é só verificar meu comportamento na questão do empréstimo via BNDES. Diga-me: alguém mais tem se preocupado com a questão do financiamento e agido, como faço, mostrando dados e fatos?
        http://bit.ly/qcS0AO

        22 de Outubro às 17:02 · 

      • Natalia Ferreira Dos Santos ei evoluçao sete lagoas e grande abaixo a mente pequena
        22 de Outubro às 17:06 ·  ·  1 pessoa

      • Nossaaaaa, tanta coisa para preocupar, como, drogas, mortes, e miséria em certos locais. E eles preocupando com horário de farmácia, pelo amor de Deus, parem com esse circo, e deixem a cidade crescer. Bando de egocentricos.
        22 de Outubro às 17:46 ·  ·  3 pessoas

      • Davisson Rocha isso se chama hipocresia e parte de pessoas dissimuladas trabalhar não pode ne mas roubar etuprar e ser currupto ta liberado ne eta sete lagoas
        22 de Outubro às 19:15 · 

      • Peter Goncalves e leonardo deixa cidade evoluir pelo amor de deus agora vcs querem deixa acidade morre por conta d euma farmacia tem tanta coisa que precisa ser melhorada ae vcs querem atrapalhar as pessoas de ganhra seus dinheiros honestamente por isso que sete lagoas nao evolui .......
        22 de Outubro às 22:50 · 

      • Robson Souza A liberdade de escolha é importante.
        22 de Outubro às 23:31 · 

      • Jornal Sete Lagoas Senhor Peter Goncalves o Sr. não conseguiu distinguir e perceber que é o Leonardo Barros quem está a frente da luta contra esse bairrismo das farmácias locais e a favor dessa evolução? Contra a reserva de mercado que sempre privou o consumidor de Sete Lagoas da "liberdade de escolha" como disse bem o Robson Souza? A única explicação para se pedir ao Leonardo que deixe a cidade evoluir é não ter lido o texto dele no link acima no seu blog ou ter feito uma interpretação exatamente do contrário do que ele escreveu. E veja que essa sua luta a favor da evolução de Sete Lagoas já vem de longe como prova a batalha que ele ajudou a vencer pela instalação da AmBev em SL e outras ainda em curso como luta por Sete Lagoas aceitar a Copasa e os investimentos imobiliários da Rodobens (3.000 Casas). Isso sem falar da sua participação reconhecida na conquista dos primeiros 20 milhões do Hospital Regional, que o Maroca tanto resiste em construir. Achamos até que ele, as vezes, é muito duro com os seus adversários como o Maroca, mas reconhecemos o volume e a qualidade do seu trabalho por acompanhar diariamente as suas brigas contra o monopólio em Sete Lagoas. Aliás, ele atua para mudar Sete Lagoas, assumindo em certos momentos responsabilidades como se fosse governo, mesmo não sendo ninguém com mandato.
        domingo às 10:53 · 

      • Priscila Lanza Sete Lagoas está crescendo e evoluindo..... Vocês vão ter de engolir.
        domingo às 12:43 ·  ·  1 pessoa

      • Leonardo Barros Obrigado Jornal Sete Lagoas pelo reconhecimento. É realmente um incentivo o apoio que algumas pessoas vem demostrando pelo que fazemos. Quanto ao comentário de Peter Goncalves creio que tenha sido apenas engano quanto a nossa posição, afinal, a nossa luta contra coronelismo-provinciano já é questão bastante conhecida.
        domingo às 13:23 · 

      • Jean Joseane kkkkkkkkkkkkkkkkkk..... então as "farmácias de sete lagoas" querem mandar na Araújo..... tem que se foderem mesmo, um cartel disfarçado..... o MESMO tinha que acontecer com a TURI nessa cidade onde o consumidor/trabalhador É ESCRAVO DO MONOPÓLIO... TOMA CAMBADA DE VACILÃO!!!!
        domingo às 15:56 · 

      • Pollyana Aguiar Concorrência é bom demais!!! Assim todo miundo tem que dar seus pulos. Difícil agora concorrer com a Araújo, viu.
        domingo às 17:12 · 

      • Alexandre Leite Tomara que venha logo a questão também muito grave em Seven Lakes da gasolina, do álcool, estive sábado 22-10 na cidade e fui abastecer melhor preço, R$ 2,95 ? Abasteço em BH a R$ 2,67 , R$ 0,28 de diferença ? em um carro popular tanque de 45 litros amigo dá só R$ 12,60 de diferença, quem abastece toda semana, logo, R$ 50,40 ao mês, parece nada mas ao ano, R$ 604,80 dá pra comprar uma tv de 24" de LCD e ou outro presente de natal. Continuem abastecendo por aí mesmo.Nada vai mudar.
        domingo às 19:35 · 
.
Postar um comentário