terça-feira, 31 de maio de 2011

Acordo nacional tira PSDB da aliança e une PT, PCdoB e PSB, diz jornal O Tempo

Entendimento entre aliados envolve outras capitais, como Porto Alegre

ANA FLÁVIA GUSSEN E DANIEL LEITE, O TEMPO

Reunião. Petistas se reuniram ontem, mas evitaram antecipar qualquer decisão sobre a sucessão

As articulações em torno da sucessão municipal em Belo Horizonte ganham um novo capítulo a partir de um entendimento nacional, que busca unir PT, PSB e PCdoB em alianças para as disputas das prefeituras das capitais e de outras cidades de grande porte. O acordo envolveria o apoio do PT e do PCdoB à reeleição do prefeito Marcio Lacerda (PSB), em Belo Horizonte, com a exclusão do PSDB da aliança.

O entendimento também alcançaria Porto Alegre (RS), onde PSB e PCdoB já estariam fechados em torno da candidatura da deputada federal comunista Manuela D’Àvila. O PT deverá se juntar ao grupo. Em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, as negociações já estão adiantadas.

"Tem uma conversa das direções nacionais do PSB e do PCdoB para um projeto comum que passa por Belo Horizonte e por Contagem", afirmou o deputado estadual Carlin Moura (PCdoB).

A exclusão do PSDB da aliança na capital mineira, embora não seja oficial, já provoca uma mudança significativa no discurso dos dirigentes tucanos em Minas. Segundo lideranças do partido, lançar candidatura própria na capital mineira seria uma estratégia fundamental para dinamizar a força do senador Aécio Neves (PSDB) em uma provável candidatura à Presidência da República.

"O PSDB não pode pensar pequeno. Não seremos considerados se não fincarmos uma posição e nos mantivermos a reboque de outros partidos. O PSDB precisa ter uma atitude de protagonista no processo eleitoral em Belo Horizonte", afirmou o secretário de Ciência e Tecnologia e deputado federal, Nárcio Rodrigues (PSDB).

O presidente estadual do PT, Reginaldo Lopes, avalia que "o PCdoB é parceiro natural do PT" e afirma que há "negociações adiantadas entre as duas legendas".

Em relação à aliança em Belo Horizonte, Lopes diz que "é preciso ter nova compreensão sobre 2012". Apesar de não descartar acordo com os tucanos, ele acredita que os critérios para a composição da chapa serão outros. "Não queremos analisar se PT e PSDB podem estar ou não juntos, mas, sim, analisar a perspectiva da aliança a partir do governo do prefeito Marcio Lacerda", afirma.

Ontem, as executivas estadual e municipal do PT se reuniram para discutir o processo eleitoral. Segundo o vice-prefeito e presidente do PT de Belo Horizonte, Roberto Carvalho, o partido não aceita a coligação com os tucanos.

Nos bastidores, a informação é que as cúpulas nacionais do PT, PSB e PCdoB já estão decididas a trabalhar juntas em favor da reeleição de Dilma Rousseff em 2014. Para que a unidade entre os três partidos seja efetivada nas eleições municipais de 2012, cada um deles assumirá a cabeça de chapa de acordo com o critério de maior viabilidade eleitoral. PSB e PCdoB já estão mais acertados em uma tentativa de evitar que somente o PT assuma as cabeças de chapa das futuras alianças.
Postar um comentário