sexta-feira, 10 de setembro de 2010

PLANO DE GOVERNO DE ANTÔNIO ANASTASIA PARA O PERÍODO 2011-2014

DA CAMPANHA ANASTASIA GOVERNADOR:
O plano foi elaborado com apoio de profissionais e especialistas renomados e será disponibilizado na internet para sugestões da populaçãoO governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, apresenta aos mineiros, na quinta-feira (09/09), o seu Plano de Governo com propostas e metas para o período de 2011 a 2014. O Plano de Governo inclui 365 compromissos distribuídos em sete pontos, chamados “Redes de Desenvolvimento Integrado”. O desafio é melhorar a qualidade de vida da população, os indicadores sociais do Estado e aumentar a renda dos mineiros.

O caminho proposto é assegurar o desenvolvimento em todas as regiões do Estado, interiorizando ações e programas de governo nas áreas de saúde, educação, habitação, infraestrutura dos municípios, geração de empregos, entre outros.

O Plano de Governo foi elaborado por um conjunto de 150 profissionais e especialistas de reconhecida atuação em diversos segmentos da sociedade, sob a coordenação do sociólogo Cláudio Beato. O documento, contendo 72 páginas, será disponibilizado na internet para que a população possa dar novas sugestões.

As sete Redes de Desenvolvimento Integrado são:

Rede de Gestão Eficiente - propõe planejamento regional e política de valorização dos servidores públicos. Entre os pontos propostos destaca-se a implantação de uma nova política remuneratória, com reajustes anuais, com base na variação da receita do Estado contemplando igualmente servidores da ativa e aposentados.

Rede de Atendimento em Saúde - propõe a universalização e melhoria da qualidade do atendimento básico à saúde; fortalecimento de 200 hospitais regionais; concluir a implantação do Serviço de Registro Eletrônico em Saúde, o Cartão Saúde.

Rede de Educação e Desenvolvimento - propõe a implantação das Zonas de Desenvolvimento Regional para estimular a instalação de empresas nos municípios de acordo com a vocação econômica local; disponibilização de 400 mil novas vagas no Programa de Educação Profissional (PEP) e ampliação de 245 mil vagas para o programa Alunos em Tempo Integral.

Rede de Infraestrutura – propõe a conclusão do Programa Caminhos de Minas, que vai asfaltar 7,6 mil km de rodovias integradoras entre as cidades mineiras; ampliar a oferta de gás natural para todas as regiões do Estado; universalização dos serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento dos esgotos, e manejo sustentável dos resíduos sólidos; expandir sinal de telefonia celular aos distritos municipais.

Rede de Desenvolvimento Social, Proteção e Segurança - criação do Programa Cidadania desde o Primeiro Dia, com ações integradas para crianças nos primeiros cinco anos de vida; implantação do programa Rede Mineira de Inclusão de Jovens, criando oportunidades de trabalho para jovens da rede pública de ensino ao concluírem seus estudos. Para a área de Segurança Pública, a meta é a consolidação do modelo de gestão integrada das Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros.

Rede de Desenvolvimento Sustentável e Cidades - propõe criar os programas Pro-Leite e Pro-Café, e também o Fundo Estadual do Café; ampliar a obrigatoriedade para aquisição de alimentos da merenda escolar advindos da agricultura familiar; estimular ações para redução da emissão de gases de efeito estufa.

Rede de Identidade Mineira – propõe a criação de programa de microcrédito para produções culturais e programa para preservação das cidades históricas; potencialização de 20 cidades como destinos indutores de Minas Gerais; promoção da marca e imagem de Minas Gerais visando à Copa 2014.
ABAIXO MATÉRIA DO JORNAL O TEMPO DE 10 DE SETEMBRO DE 2010:





Anastasia lança suas propostas
Governador rebateu críticas de Lula à sua administração na área de saúde

POR FLÁVIA MARTINS Y MIGUEL, NO O TEMPO:
O plano de governo lançado ontem pelo candidato à reeleição ao Palácio Tiradentes, Antonio Anastasia (PSDB), traz uma nova terminologia para os mecanismos de participação da sociedade na escolha de obras e realizações do governo. O conceito de desenvolvimento integrado agora será por meio de redes de participação da sociedade, algo como os conselhos já utilizados no atual governo.

Para Antonio Anastasia, a nova forma de administração proposta pelas redes é algo "muito inovador" e deverá render bons resultados com a integração dos esforços. "É uma ideia de um esforço coletivo; que é a do governo, a responsabilidade maior, mas que é também com a participação das entidades da sociedade civil e das outras esferas de governo", afirmou o candidato do PSDB.

No texto, não há um aprofundamento de temas polêmicos como a expansão do metrô da capital - que é de responsabilidade do governo federal, mas necessita de articulação para se concretizar -, recuperação da BR-381 ou a redução do ICMS do combustível no Estado. Esses assuntos compõem tópicos sem explanação.

Críticas. O tucano evitou polemizar ao responder os ataque do presidente Lula ao governo mineiro durante o comício da chapa adversária realizado anteontem em Betim. Segundo Lula, Minas investe apenas 6% na saúde dos 12% exigidos pela Emenda 29.

"Talvez tenham dado a ele algum dado equivocado, porque Minas aplica rigorosamente, de acordo com a decisão e a orientação do nosso Tribunal de Contas, os 12% exigidos na área da saúde. O Ministério da Saúde, que tem alguns dados que são um pouco diversos, fala em cerca de 10%, mas nós cumprimos rigorosamente os 12%", rebateu, ressaltando a necessidade de regulamentação da Emenda Constitucional 29 que, segundo ele, deve ser apreciada pelo Congresso, juntamente com a participação do governo federal.

No evento, integrantes da comunidade acadêmica de Minas, representados por professores universitários de diversas instituições de ensino superior, entregaram, ao candidato Anastasia, um manifesto de apoio à sua candidatura, com 638 assinaturas.
Postar um comentário