quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Apoio de prefeitos do interior fortalece campanha de Anastasia

Aliados avaliam que a mobilização de caciques políticos nos municípios é uma das causas do crescimento nas pesquisas do candidato ao governo do estado pelo PSDB, Antonio Anastasia
O crescimento do governador Antonio Anastasia (PSDB), candidato à reeleição, nas pesquisas obteve forte impulso com a adesão de um verdadeiro “exército” de prefeitos. No início da campanha, quando o tucano estava 20 pontos percentuais atrás do principal adversário, Hélio Costa (PMDB), havia pouca mobilização dos chefes de Executivo. À medida que o tucano avançou nas pesquisas, houve também crescimento do trabalho dos prefeitos a seu favor. A avaliação é do presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), José Milton de Carvalho Rocha (PSDB), para quem a força do ex-governador Aécio Neves, candidato ao Senado e principal cabo eleitoral de Anastasia, mobilizou cerca de 600 prefeitos (de um total de 853) na campanha tucana.
“Por causa da Copa do Mundo, houve atraso na campanha e, no início, os prefeitos ficaram um pouco distantes. Mas, depois, os prefeitos entraram para valer na campanha”, afirma o dirigente da AMM. Ele acredita que a participação dos chefes de Executivo vai crescer mais na reta final da campanha. “Como disse (o ex-governador) Hélio Garcia, a campanha começa mesmo depois de 7 de setembro”, diz. “Ninguém sabe fazer campanha melhor do que os prefeitos. Eles são cabos eleitorais com experiência e know-how. Além disso, têm conhecimento junto à comunidade, o que facilita muito o trabalho eleitoral”, afirma José Milton, para atribuir aos prefeitos o crescimento de Anastasia nas pesquisas. Embora seja filiado ao PSDB, do presidenciável José Serra, José Milton afirma que a força dos prefeitos também é um diferencial na campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência.
José Milton entende que o apoio dos prefeitos também influi no crescimento de Anastasia nos grandes colégios no estado, onde Hélio Costa saiu em grande vantagem. É o caso de Uberlândia, no Triângulo, segundo maior colégio eleitoral, com 423 mil eleitores, administrada por Odelmo Leão (PP), que está engajado na campanha do tucano. Anastasia também é apoiado pelo chefe do Executivo em Juiz de Fora, quarto maior colégio eleitoral de Minas, com 378 mil eleitores. A cidade-polo da Zona da Mata é administrada por Custódio Mattos (PSDB). Os tucanos na cidade estão divididos em dois grupos: a ala do prefeito e a do deputado estadual e ex-secretário estadual de Saúde Marcus Pestana, candidato a deputado federal. Ambos trabalham para a reeleição do governador.
Em duas cidades de Minas, Anastasia não tem o apoio do chefe do Executivo, mas é apoiado pelo vice: Montes Claros (238 mil eleitores, no Norte de Minas) e Governador Valadares (194 mil eleitores, no Leste). Em Montes Claros, o prefeito Luiz Tadeu Leite (PMDB) apóia Hélio Costa. Mas ficou “amarrado” para fazer campanha para o peemedebista, tendo em vista que – ainda como conseqüência de acordos no segundo turno da eleição de 2008, com exceção do PPS, todos as bases de sustentação do governo estadual também apóiam a atual administração de Montes Claros e seus líderes na cidade estão engajados na campanha de Anastasia. Em Governador Valadares, a prefeita Elisa Costa (PT) trabalha para Hélio Costa .Mas o vice, Geremias Brito (PV), rompido com a titular – e candidato a deputado estadual – acompanha Anastasia.
Pequenos
O trabalho dos prefeitos pesa mais a favor de Anastasia também nos pequenos municípios. Essa situação é constatada no Norte de Minas. Segundo a Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), 83 dos 92 prefeitos da região ingressaram na campanha para a reeleição do governador. “Os prefeitos estão vestindo a camisa do Anastasia como gratidão pelo trabalho dele e de Aécio Neves em prol do Norte de Minas”, assegura o presidente da Amams, Valmir Morais de Sá, prefeito de Patis, de 5,6 mil habitantes. “O Norte de Minas recebeu mais benefícios do que outras regiões do estado. Os prefeitos acham que isso tem ser respondido à altura, com votos”, afirma Morais.
Por:Luiz Ribeiro - Estado de Minas
Postar um comentário