sexta-feira, 25 de março de 2011

SAAE DE SETE LAGOAS PRETENDE AUMENTAR A CONTA DE ÁGUA E ESGOTO

Uma das diretoras do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), Sandra Nogueira, informou que autarquia pretende encaminhar para Câmara Municipal uma proposta de reajuste da tarifa. O valor de ficar em torno de 7,5%, ou precisamente isso, é bem possível. Eles estão aproveitando que a Copasa elevará sua tarifa também, foi o que deixou entender a servidora citando autorização de "agências reguladoras" nesse percentual. E é essa notícia que traz o jornal Hoje em Dia sobre o aumento da conta de água da Copasa.

Não sou contra o reajuste até porque a inflação do governo Lula-Dilma/Dilma está batendo as portas dos consumidores e um aumento de custos tem que ser coberto. Mas está na hora do consumidor sete-lagoano exigir também da autarquia uma contra-partida de serviços, como, por exemplo, o tratamento da água. Não da para aceitar bovinamente essa água que além de calcária NÃO é tratada. Não sabia? Então você só pode ser novo aqui no blog, ou já estaria informado sobre isso com dados e fatos assombrosos. Aliás, para recordar ou ver alguns assuntos facilmente, é só consultar o arquivo disposto abaixo do lado direito.

E quer outra má notícia? Sei que não querem, mas vai: o governo federal REPROVOU o pleito de Sete Lagoas para tratamento de esgoto, a ETE - Estação de Tratamento de Esgoto -, que pleiteava para a cidade no valor de R$60 milhões. Informação também da Diretora Sadra Nogueira, que disse tudo isso ontem na Reunião Especial Saneamento promovida pela Câmara a pedido do vereador Claudinei Dias (PT). E se não me falha memória esta já a terceira reunião que ele, Claudinei, promove em Sete Lagoas. Boa iniciativa para discussão, mas do ponto de vista prático há pouco que se pode comemorar como fruto do debate.

E para encerar pergunto: uma vez que o SAAE está pegando carona na Copasa para ajustar o preço ao consumidor ele poderia acompanhar a Estatal Mineira também na redução de 4,4% que ela vai promover aos consumidores residenciais que gastam até 6 metros cúbicos por mês, não é?
Postar um comentário