quinta-feira, 24 de março de 2011

Educação estabelece metas para o Proalfa nos próximos quatro anos


BELO HORIZONTE (24/03/11) - Diretores de Superintendências Regionais de Ensino de todo o Estado receberam nesta quinta-feira (24) os cadernos de metas do Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa) para os próximos quatro anos. Cada uma das 47 SREs têm patamares de melhoria a serem cumpridos de 2011 a 2014 e o objetivo é que 97% dos jovens de até oito anos em Minas Gerais estejam lendo e escrevendo em um nível considerado recomendável.

De acordo com a última avaliação do Proalfa (2010), exame que avalia o nível de leitura e escrita dos estudantes do 3º ano do ensino fundamental, 86,2% desses alunos sabem ler e escrever com a autonomia. A partir desse índice, há patamares a serem alcançados ano a ano. Para 2011, a meta de alunos no nível recomendado é de 88,9%, em 2012, de 91,7%, em 2013, 94,4% e em 2014 a meta é de 97%.

O caderno de metas aponta também a diminuição progressiva dos estudantes no nível intermediário e baixo. A última avaliação apontou que 8,4% dos alunos da rede estadual se encontram no patamar considerado intermediário. Para 2011, a meta prevê que esse índice baixe para 6,9%, em 2012 para 5,4%, em 2013 para 3,9% e em 2014, a meta é de 1,5%. O Proalfa 2010 avaliou ainda que 5,4% dos alunos estavam no baixo desempenho. Em 2011, a meta é de 4,2%, em 2012 de 2,9%, em 2013 de 1,7% e para o último ano da gestão a meta é reduzir para 1,5% o número de alunos no baixo desempenho.

A secretária-adjunta de Estado de Educação, Maria Céres Spinola, palestrou sobre as metas do Proalfa no ‘Encontro da Equipe Regional e dos Professores do 1º e 2º Ano do Ciclo da Alfabetização’ nessa quarta-feira (23). Segundo ela, as metas servem como desafio para a melhoria na qualidade da educação. “As metas devem ser desafiadoras, mas sempre factíveis. A ideia de metas e resultados é fundamental para marcar o nosso caminho, ela faz com que nós organizemos nosso caminho para que ela seja atingida”. Céres ainda falou sobre a importância do esforço na alfabetização dos jovens mineiros. “Quando a gente ensina uma criança a ler nós não estamos ensinando simplesmente símbolos e códigos, estamos ensinando essa criança a ter acesso ao mundo”, completou.

O caderno de metas do Proalfa estabelece patamares também para a proficiência média dos estudantes. Na avaliação de 2010, a proficiência média foi de 589,8 em uma escala que vai de 0 a 800. A intenção é de que a proficiência média no Estado chegue a 659,9 em 2014.

Motivação

Nos cadernos distribuídos às diretoras de SREs há metas para todas as escolas sob sua jurisdição. A partir dos resultados de exames como Proalfa e das metas estabelecidas, as SREs e as escolas traçam estratégias pedagógicas que vão resultar em um aumento de qualidade. “As metas servem como objetivo. A partir delas nós traçamos um plano de trabalho específico para cada escola, de acordo com as necessidades observadas. Além disso, as escolas ficam motivadas a buscar suas metas”, explica a diretora da SRE de Leopoldina, Maria José Marques Ferreira.

A diretora da SRE de Nova Era, Regina Pimentel de Caux, ressalta a importância também de trabalhar as metas no âmbito das Superintendências. “Antes de passar para as escolas, nós fazemos uma discussão das metas entre os funcionários da SRE, como os inspetores, e depois com os diretores das escolas. Procuramos também conversar com os secretários municipais de educação sobre a importância dos resultados das avaliações educacionais, como o Proalfa, para tentar fazer com que eles tracem suas próprias metas”, completa.

No caderno de metas do Proalfa há também patamares a serem alcançados em projetos desenvolvidos pela Secretaria de Estado de Educação (SEE), como Programa Acelerar para Vencer (PAV), Ensino Médio Profissionalizante, Escola em Tempo Integral e Escola Viva, Comunidade Ativa. Para esses projetos, as metas são para 2011.
Postar um comentário