VISITE ANTES DO LANÇAMENTO PARA CONHECER E ESCOLHER O SEU LOTE

sábado, 23 de novembro de 2013

PRIVATIZAÇÃO DO AEROPORTO DE CONFINS CONSOLIDA ESFORÇO DO GOVERNADOR ANASTASIA NA ATRAÇÃO, DIVERSIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE NOSSA ECONOMIA. PALAVRAS CHAVES: INVESTIMENTOS, VETOR NORTE, ACESSO, TRANSPORTE, CAMINHO, OBRAS, AEROTROPOLE, MG 424, LMG 800, LAGOA SANTA, BELO HORIZONTE, PEDRO LEOPOLDO, HORÁRIOS, VIAGENS, NÚMERO DE PASSAGEIROS, EMPREGOS, PIB DA ECONOMIA DE MINAS GERAIS, BOOM ECONÔMICO, MASTER PLAN

Minas Gerais deu mais um passo na possibilidade de ampliar a sua diversificação econômica, com a concessão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN). Em leilão realizado na manhã desta sexta-feira (22), na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o Consórcio Aerobrasil – formado pelas empresas CCR (75% de participação) e as operadoras Flughafen Zurich AG, que administra o aeroporto de Zurique (24%) e a Munich Airport (1%) - venceu o leilão ao ofertar R$ 1,82 bilhão, com ágio de 66% em relação ao preço mínimo, pela exploração, manutenção e ampliação do aeroporto, por um período de 30 anos.
Todos os grupos que apresentaram propostas para concorrer ao certame foram formados por empresas nacionais com indiscutível reputação no mercado e formaram consórcios com operadores aeroportuários globais, com experiência na operação de terminais com mais de 50 milhões de passageiros por ano. 
Do exterior, onde está em viagem particular, o governador Antonio Anastasia festejou o resultado. “O sucesso do leilão para a concessão do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, contrariando os insistentes prognósticos pessimistas, é o coroamento de um vigoroso trabalho de planejamento executado pelo Governo de Minas para atrair interesses de grandes investidores. A ampliação e modernização do Aeroporto de Confins é parte fundamental da estratégia do nosso governo para impulsionar o desenvolvimento econômico do Estado. Vamos prosseguir nos investimentos para melhorar e fortalecer a infraestrutura no entorno do terminal, que está se consolidando como novo polo de crescimento do Estado”, declarou.
O governador também elogiou os vencedores do leilão. “Para nossa satisfação e tranquilidade, o consócio que ganhou a concessão é formado por uma parceria que reúne uma sólida empresa brasileira do setor e duas operadoras alemãs com grande expertise na administração de aeroportos. Com certeza, o nosso aeroporto internacional terá uma gestão de primeira classe”, afirmou Anastasia.
Para o subsecretário de Investimentos Estratégicos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDE), Luiz Antônio Athayde, o fortalecimento de um equipamento aeroportuário será capaz de atrair novos investimentos, principalmente na chamada Nova Economia, de promover a diversificação econômica de Minas, com a geração de empregos qualificados, e de estimular o crescimento não apenas da Região Metropolitana de Belo Horizonte, como de todas as demais regiões do Estado. “Este é um momento histórico para Minas Gerais, porque o AITN será o grande indutor da diversificação econômica do Estado nas próximas décadas”, afirmou o subsecretário.
Planejamento foi essencial
O sucesso do leilão desta sexta-feira pode ser atribuído ao intenso planejamento realizado pelo Estado de Minas Gerais nos últimos anos, o que contribuiu para demonstrar aos investidores o potencial de crescimento do terminal para os próximos anos. Um passo importante neste processo foi a decisão, tomada pelo Governo do Estado, em 2005, de transferir os voos comerciais do Aeroporto da Pampulha para o AITN, localizado nos municípios de Lagoa Santa e Confins, e que até então registrava altos índices de ociosidade. Neste mesmo ano, o aeroporto possuía uma movimentação de pouco mais de 300 mil passageiros/ano.
De acordo com dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), em 2013, entre os meses de janeiro e outubro, o número de passageiros superou a marca de 8 milhões, sendo mais de 300 mil para destinos internacionais a partir dos voos diretos para cidades como Buenos Aires (Argentina), Lisboa (Portugal), Miami (Estados Unidos) e Cidade do Panamá (Panamá).
O prognóstico é de que em 2040 a movimentação atinja um total de passageiros quatro vezes maior que o atual e, a partir de sua ampliação e modernização, o terminal deverá ser capaz de gerar riquezas semelhantes às produzidas na Região Metropolitana de Belo Horizonte até 2030.
Aerotrópole em desenvolvimento
Nos últimos anos, o Governo do Estado de Minas, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico tem investido em uma série de estudos e levantamentos para identificar todas as ações que deverão ser implantadas no aeroporto nos próximos 30 anos. Entre estes estudos estão o Plano Macroestrutural do Vetor Norte e Masterplans Econômicos desenvolvidos por renomadas consultorias internacionais como a Frost&Sullivan, Changi, Jurong (todas de Cingapura) e CH2MHill (Estados Unidos).
A preocupação com a modernização de infraestrutura de acesso ao aeroporto implicou outra série de medidas como os aportes na implantação da Linha Verde (MG-010) e nas obras de melhoria da LMG-800 e a MG-424, que devem ficar prontas em maio de 2014, a partir de investimentos de R$ 373 milhões.
Com o sucesso do leilão de concessão do aeroporto, as perspectivas são de que o Estado ganhe reforço para cumprir uma de suas maiores prioridades, a diversificação da economia do Estado, por meio da atração de investimentos em setores que compõem a chamada Nova Economia.
De acordo com o subsecretário Luiz Antônio Athayde, vem ganhando força, nos últimos anos, a ideia de que a proximidade a equipamentos aeroportuários será um dos principais fatores para ganhos de competitividade na economia global. “A concessão do AITN garantirá todos os investimentos necessários no principal equipamento de infraestrutura do Estado e que será responsável pelo impulso da economia nas próximas décadas, levando à diversificação mais rápida da economia do Estado”, afirmou o subsecretário.
Postar um comentário