sexta-feira, 11 de novembro de 2011

BIOGRAFIA

As informações a meu respeito eu as retirei da inscrição feita no "Prêmio Bom Exemplo". Os dados são os informados aquele juri do "Prêmio Bom Exemplo" de 2011 (e tudo segue com os respectivos links dos fatos), em que uma amiga, repórter da Globo Minas, incentivou-me, muito, a inscrever-me. A pesar de que como disse neste mesmo texto que elaborei para o Prêmio e penso: o que fiz deveria ser um não exemplo no país. Mas segundo fui informado por pessoas da organização do Prêmio que "fizeram questão de me explicar" só não fui escolhido para disputar a eleição popular pela internet, entre os 5 pré-selecionados, em função de que por mais que minha ação fosse uma "Representação Política Cidadã" meritória, a ação política é mal vista e poderia ser entendido como "promoção de político". "Mas todos ficaram muito admirados com o seu trabalho", disseram-me.

Bem, sobre a minha atuação refere-se a um protagonismo nos últimos 6 em Sete Lagoas feito não por altruísmo voluntário, mas pelo inconformismo com o estado das coisas (o estado físico das coisas inclusive) em Sete Lagoas. Nessa atuação como vão ver assumi diversas e diversas vezes uma responsabilidade de governo executando uma ação qualificada, abrangente e de resultados palpáveis. Muitos que conhecem o trabalho acham que eu fiz muito mais que os vereadores das últimas duas legislaturas. 

Uma das consequências do trabalho que fiz foi ter ganhado o respeito e admiração de muita gente como o próprio governador Anastasia, que teve a generosidade de me dar nota alta em testemunho: “Nota Mil” (Ouça no link http://bit.ly/ja1CzW ). Uma honra. Ele, o professor Anastasia, acompanha de perto a minha atuação – era um leitor assíduo do blog, quando eu o atualizava diariamente. Sabe o valor que o trabalho tem para a sociedade.
Um respeito que se estende a toda região e pode ser visto no testemunho de diversos prefeitos da grande Sete Lagoas.

1) Minha participação reconhecidamente efetiva na conquista das verbas para o Hospital Regional de Sete Lagoas, bem como a escolha de sua localização no município - veja testemunho abaixo - uma obra que o prefeito de plantão tentar se sustentar, mas temos o registro de que ele não queria fazê-la;

2) Tenho amplo transito para a formação de uma grande aliança partidária -   PMDB, PV, DEM, PTB, PR, PHS, PRTB, PSL, PCdoB, PT, PP. Veja essa matéria do Portal Vermelho [CONSEGUI ADMIRAÇÃO ATÉ DOS VERMELHOS APESAR DE ASSUMIR POSIÇÃO DE CENTRO-DIREITA]: (http://www.vermelho.org.br/mg/noticia.php?id_noticia=162686&id_secao=76)

3) Apoio do empresariado;

4) Grande influência na região com os prefeitos e vereadores;

SEGUE AS INFORMAÇÕES QUE SERVIRAM PARA INSCRIÇÃO NO "PRÊMIO BOM EXEMPLO" DA GLOBO:


Justificativa
Entre as maiores indignações da sociedade brasileira na atualidade está a representação política. Os políticos compõem um mundo à parte. O compromisso, sobretudo, dos parlamentes com quem os elegeu no sentido de representar os seus interesses maiores é mínimo. Os legislativos nos três níveis de governo viraram meras extensões dos respectivos governos, que detém todo o poder para si. Restando as Casas legislativas a tarefa de homologação das iniciativas que partem dos Executivos.
Esse triste quadro é piorado quando a imprensa atrela-se também ao poder deixando de cumprir com o seu papel fiscalizador. A sociedade fica sem ter com quem contar.
Foi contra essa situação que eu decidi lutar em Sete Lagoas assumindo na prática a responsabilidade de quem era pago para fazer isso. Eu decidi lutar por uma cidade melhor trabalhando para fazer as coisas acontecerem.
A motivação para agir foi o inconformismo com o estado da cidade. Eu me via em uma cidade de maravilhosas belezas naturais, localizada estrategicamente na região central de Minas, próxima da capital, do aeroporto de Confins, em franco crescimento econômico, entretanto, era, e é, como estar morando no semi-árido nordestino. E eu tinha três opções: 1) me acomodar com a situação; 2) mudar de cidade; e 3) lutar para mudar a cidade. Escolhi a terceira opção como segue na descrição do exemplo.
Seria esse um “Bom Exemplo”? Bem, depende eu não acho que as pessoas deveriam fazer o que eu fiz: dedicar-se quase que integralmente em função do causa pública. Afinal, as pessoas têm de trabalhar, construir suas carreiras e o país precisa produzir, assim as pessoas não têm como dispor do tempo para investir em favor do interesse público como decidi fazer de forma continua,abrangente e qualificada. Qual seria então o exemplo?
O “Exemplo” que pode tirar se esta atuação provar-se consistente, sólida e, portanto, um Bom Exemplo, segundo o júri competente, é do paradigma de Representação Política para a sociedade cobrar os seus políticos e escolher os seus representantes, principalmente porque este exemplo vem de um cidadão que não é ninguém formalmente investido do poder para esta representação. E mais: se esta atuação uma vez pré-selecionada pelo júri qualificado e revelada ao público sagrar-se vitoriosa pelo voto popular, este exercício de escolha de um Bom Exemplo de REPRESENTAÇÃO REAL, dará ao cidadão mais que um Exemplo, um aprendizado. Aprendizado que pode levá-lo a também ter maior responsabilidade e desprendimento para votar considerando a necessidade coletiva e não própria, particularista, com a consequente insatisfação com os políticos, mas que ele próprio elegeu.
Senhores,
Segue abaixo descrição do suposto “Bom Exemplo”, que em minha opinião deveria ser um não exemplo. Explico-me. Nestes últimos 5 anos entreguei-me a paixão de servir, mas para, infelizmente, cumprir em Sete Lagoas um papel que é uma obrigação de quem é muito bem pago para realizá-lo, mas que na prática, com raras e louváveis exceções, não é realizado ou não o é com a qualidade, a quantidade e, sobretudo, com o compromisso com quem paga muito caro em impostos: a sociedade. Se fosse feito e bem feito por quem tem o dever eu não estaria descrevendo a minha atuação - realizada de forma continua, abrangente e qualificada. Por isso eu disse que ele deveria ser: um não exemplo. Mas como essa não é a realidade eu lhes apresento o meu suposto “Exemplo”.

REPRESENTAÇÃO POLÍTICA CIDADÃ -
Eu cidadão, Leonardo Barros, assumi nas grandes questões de interesse público de Sete Lagoas e região um papel de governo, tomando a responsabilidade as mãos. Nós últimos 5 anos debrucei sobre os problemas e oportunidades buscando soluções concretas.

Foi assim na luta da cidade para viabilizar um Hospital Regional, e é assim na luta para resolver o grave drama do Saneamento do município onde à população humilde chega ao ponto de ter que apanhar água em bicas para abastecer seus lares e outra parcela que pode compra água mineral até para fazer comida – a cidade não dispõe do serviço da Copasa e a água calcária retirada do subsolo cárstico é de péssima qualidade, além de não ser tratada e nem fluoretada e, a falta, é regular. Bem, esses e outros graves problemas primários acontecem numa cidade de 220 mil habitantes, economia diversificada, como sabem, em franco crescimento, localizada à apenas 60 quilômetros de BH me levaram a profunda indignação, inconformismo e luta.

O ponta pé inicial da minha atuação foi justamente o Saneamento com à discussão em 2007, da vinda ou não da Copasa para Sete Lagoas. Lutei com um leão pela instalação da estatal mineira de saneamento no município: escrevi artigos, participei de diversas audiências públicas etc. Mas o prefeito anterior por pressão política acabou recuando na última hora.

SAÚDE – ERA PRECISO PENSAR EM MINAS, NÃO SÓ EM SETE LAGOAS
Em seguida veio à luta pelo Hospital Regional. Essa a cidade se uniu, mas patinava na negociação com o Estado porque as autoridades olhavam apenas para necessidade própria do município e micro região. Foi, então, que na audiência pública municipal realizada no dia 8 de novembro de 2007, propus a criação de uma nova Marcroregião de Saúde (VEJA EM http://bit.ly/i3eAUK), justificando que era preciso considerar à política de fortalecimento regional proposta pelo Estado e a necessidade de desafogar o atendimento de BH. Ou seja, era preciso pensar além do próprio umbigo – da cidade em questão – era, e é, fundamental pensar em Minas que depende ainda muito de Belo Horizonte. Segue transcrição da fala na audiência pública:

Esta proposta da Marcroregião nasceu do meu envolvimento com a questão local, do estudo que fiz do Plano Diretor de Regionalização do Estado (PDR) e do diálogo com a secretaria Estadual de Saúde do Estado. E ela influenciou de forma decisiva a negociação entre o município de Sete Lagoas e o Estado para a liberação dos recursos. Encampada pelas autoridades locais a ideia fez o município reposicionar-se deixando uma posição de só demandante e foco micro para colocar-se como parte da solução do Estado. Essa nova atitude foi, reconhece um dos mais respeitados deputados estaduais Doutor Viana (veja neste link http://bit.ly/hG6TeY ) e o secretário da saúde municipal da época, Geraldo Donizente, fundamental para ajudar a convencer o Estado a liberar os recursos para a construção do Hospital Regional em Sete Lagoas.

No esforço de viabilizar o hospital levei pessoalmente a proposta de Macroregião a Assembleia Legislativa de Minas, encaminho-a através do deputado Doutor Viana, então vice-presidente do nosso legislativo e depois ao Estado, através da vice-governadoria. Meu envolvimento com a questão foi tão efetivo que até a localização hospital foi uma sugestão minha (veja o vídeo em http://bit.ly/gDbhXR ou ATA da Audiência Pública em http://bit.ly/mIvoh5 página 3), considerando a necessidade da região mais humilde e um espaço estratégico de um aeroporto desativado.

ANTENCIPAÇÃO DE ERROS E DESVIOS E POUPANDO RECURSOS PÚBLICOS
E assim eu não parei mais. Mas da mesma forma em que me envolvia na formulação de propostas para ajudar a viabilizar recursos, nunca titubeei em denunciar desvios. Foi o caso do PAC, em que comparando a quantidade elevada de verba versus a timidez projeto físico proposto identifiquei indícios de corrupção, que denunciei ao Ministério Público formalmente em outubro de 2007 e ao poder Legislativo em abril de 2008. Um mês depois da denúncia, que televisionada (http://www.youtube.com/watch?v=YIoTHM6IM54) pela TV Câmara a Polícia Federal viria a Sete Lagoas e comprova que havia mesmo um esquema preparado para o desvio do dinheiro que seria liberado. O processo foi parado e o dinheiro congelado até que tudo fosse refeito.

NEGOCIAÇÃO COM MINISTÉRIO DAS CIDADES
Na retomada desse projeto do PAC SANEAMENTO que aconteceu no início de 2010 voltei a interferir na questão. Descobri em diálogo com o Ministério da Cidades que Projeto de Captação de água não resolveria o problema de abastecimento considerando vão (volume) e o tempo previsto . Ele era inócuo. As autoridades federais acabaram me dando razão e recomendando que a cidade alterasse o projeto. A Analista de Infraestrutura, Jaqueline Almeida, me comunicou por email, a saber:
Prezado Leonardo,

Após a análise da Gerência do Programa Saneamento para Todos e da Diretoria do Departamento de Cooperação Técnica, o contrato de Sete Lagoas foi aprovado.
A aprovação do projeto básico foi feita com 
ressalvas e sugestões.
Uma vez que no contrato esta prevista a elaboração do projeto executivo, esperamos que na elaboração deste, as sugestões e 
ressalvas possam ser incorporadas.
Assim, esperamos resolver o problema do déficit hídrico na cidade, bem como a problemática do abatimento do solo.


Atenciosamente,

Jaqueline Almeida
Analista de infraestrutura
SNSA-MCidades

essa atuação já em 2008 foi incrementada com a criação do blog. Ele rapidamente conquistou centenas de leitores que repercutiam as questões expostas na página. Ganhou uma dimensão de um veículo de comunicação local. E passou a ser reconhecido como uma mídia de peso. Mas eu alertei que eu não apenas escrevo por escrever eu escrevo para mudar. Procuro estudar os problemas, identificar as oportunidades, fazer propostas concretas. E não desejava substituir nenhum veículo de comunicação como tal. Mas mesmo não querendo o blog cumpria uma função jornalística que deixava de ser realizada por quem tinha de fazê-lo.

Mas com a audiência do blog o trabalho ganhou visibilidade, portanto, mais importância tornando-se um encalço para os poderosos de plantão. E duas gestões diferentes e opostas entre si de Sete Lagoas, a anterior (PMDB) e atual (PSDB), foram devidamente apoiadas e fiscalizadas. A anterior eu apoiei como descrito acima na conquista do Hospital Regional e denunciei como também relatado os erros e desvios prévios, ajudando a poupar o dinheiro público antes da sua malversação; a atual posso citar como exemplo a defesa de um bom trabalho na educação que estava ameaçado pela resistência natural à mudança e pelo ataque rasteiro de um vereador do PSOL. E que fiz?

A DEFESA DE UM BOM PROJETO PARA EDUCAÇÃO
Assumi com toda força a defesa da permanência da então secretária de Educação municipal, Maria Lisboa, enfrentando o vereador Reginaldo Tristeza. Nessa tarefa além de usar o blog para defender a sua permanência fui para rádios dei entrevistas, articulei politicamente e até promovi um encontro de diretoras que a apoiavam com o profeito Maroca. A luta foi vitoriosa ela ficou até o final do ano e implementou mudanças estruturais reconhecidamente positivas, depois ela foi dispensada pelo prefeito como (http://bit.ly/kENBpt ) o jornal Hoje em Dia, porque era muito competente.

A propósito esse empenho em favor da secretária foi registrado pelo jornalista governista e o locutor que comanda o principal programa jornalístico de rádio da cidade, João Carlos de Oliveira, no seu jornal, o Centro de Minas, anotou ele: “PRÁ VALER MESMO, O ÚNICO NA EMPREITADA DE DEFENDÊ-LA PUBLICAMENTE É O LEONARDO BARROS, NA TRINCHEIRA DE SEU FORTE BLOG DE NOTÍCIAS.” Hoje a professora Maria Lisboa, que saiu “por ser muito competente” integra a equipe de confiança do governador Anastasia na secretária estadual de Educação. Segue trecho de um post que escrevi par defendê-la:

“Maria venceu ( http://bit.ly/jMEPZO )

Nestes últimos dias me dediquei a conversar com quem está vivenciando as mudanças na educação, depois de "falar com a cúpula", fui atrás de quem está lá nas escolas bem longe do poder. Encontrei com muitos e muitos educadores e posso afirmar: a educação de Sete Lagoas nunca mais será a mesma. Isso para desespero dos algozes de Maria Lisboa - Tristeza à frente -, a professora venceu a guerra, independente do que aconteça de agora prá frente.”
Por outro lado eu mostrei que a sociedade, hoje profundamente arrependida da escolha, que tinha dado um cheque em branco na eleição a um governo de intenções nefastas e os fatos iam dando razão ao que eu dizia. Exemplo: em que em uma entrevista que passou despercebida por todos no momento da sua fala o ex-vice-prefeito que assumiu uma cadeira de suplente na Assembleia na legislatura passada revelou que os financiadores da campanha obrigaram o prefeito a “agüentar muita coisa” calado dentro da administração.Assim que tratei da revelação alguns dias depois chamando a atenção para a sua gravidade no blog a coisa virou um grande escândalo vejam neste ( http://bit.ly/ljNxMK ): “DEPUTADO RONALDO JOÃO (PDT) FAZ OUTRA GRAVE REVELAÇÃO - DIZ QUE DINHEIRO DE FINANCIAMENTO DA CAMPANHA ELEITORAL OBRIGOU PREFEITO MAROCA (PSDB) A FICAR CALADO E "AGUENTAR MUITA COISA" Vejam alguns outros fatos revelados com os seus respectivos links:
MEIO-AMBIENTE – PROJETO MANUELZÃO APOIANDO A DESPOLUIÇÃO DO VELHAS
Participação e apoio no esforço de despoluição do Rio das Velhas, através do Projeto Manuelzão. Veja o registro da participação na Revista Manuelzão, edição 52, página 8http://bit.ly/mE6wIr
COBRNDO AÉCIO E ANASTASIA
Cobrando Aécio pela Saneamento em Sete Lagoas:http://bit.ly/kgY72p
Cobrando Anastasia pelo Saneamento http://bit.ly/fXoHIt
MOBILIZANDO A IMPRENSA DO ESTADO PARA QUESTÃO DO SANEAMENTO LOCAL
Procurei a imprensa para revelar o problema da água em Sete Lagoas http://bit.ly/m1ObD7
A participação para mudar Lei do Pequi e conseguir a instalação da uma nova fábrica da Ambev ( uma batalha por empregos de qualidade e também uma nova cultura: de valorização profissional) http://bit.ly/moXQ07
REGISTRO E DENUNCIA DAS PESSOAS APANHANDO ÁGUA EM BICAS
O registro das pessoas apanhando água em bica, fiz mais de 50 para mostrar o drama http://bit.ly/c0euKjhttp://bit.ly/jUHste
EXCLUSIVO - Diretor do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) diz que controle da qualidade da água é feito "no olho" e admite que água suja cai no sistema de distribuiçãohttp://bit.ly/fxtUCc
Segurança Pública se discute com a iniciativa privada? Bem, prazer em apresentar este FATO e esta IMAGEM que dizem mais que um 1.000.000 de palavras (Linkhttp://bit.ly/mbd1jK ). Critiquei a intenção do prefeito procurar a iniciativa privada para discutir segurança pública, onde se chegou a falar até em “unificação” das polícias, alijando os comandos policiais civil e militar de Sete Lagoas. Essa denúncia inclusive gerou uma reação imediata do Conselho de Segurança que tomou satisfação do prefeito.
INVESTIGANDO SUSPEITA DE DESVIO EM OUTRO PAC, O DA URBANIZAÇÃO
Nesta ação (Fevereiro de 2010 neste linkhttp://bit.ly/kMnQJh ) eu fui a campo investiguei, denunciei e não puderam seguir com as más intenções de embolsar o custo não realizado de obras do PAC. Desta vez com o dinheiro do “PAC Urbanização” (as outras duas situações citadas anteriormente eram do “PAC SANEAMENTO”). Tal ação apurada e revelada pelo blog foi alvo de investigação pela Câmara, que se baseou nas informações do blog como informa o vereador autor do requerimento. Vejam e ouça a entrevista do veredor neste link ( http://bit.ly/lgMwFr ).
Uma curiosidade
Se trata de uma REAÇÃO DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE SETE LAGOAS A UMA CRÍTICA MINHA ONDE A CHEFE DO ORGÃO PEDIA NUM OFÍCIO INTERNO (DOCUMENTO:http://bit.ly/mTlAh1 )AO GOVERNO, QUE EXIGISSE DE MIM UMA RETRAÇÃO PARA SEGUINTE AFIRMAÇÃO QUE EU FIZ NO BLOG: “A VIGILÂNCIA SANITÁRIA FAZ A PRIMERIA TENTATIVA DE FECHAR O RESTAURANTE POPULAR, QUANDO SERÁ PRÓXIMA?”. E charada vem agora: o fato foi que menos de 2 meses depois, assim como eu havia afirmado, fazendo quase que uma premonição para o destino do Restaurante, o governo Maroca fechou o mesmo oferecendo como justificativa para o ato uma ordem da Vigilância Sanitária. Ou seja, o que Órgão de fiscalização não podia imaginar era que a afirmação da qual eles queriam que eu me retratasse seria o exato pretexto que o prefeito usaria para dar cabo a sua intenção de fechar o restaurante.
Ah, sim: esse documento veio a tona quando a Câmara Municipal criou uma comissão para investigar o fechamento do restaurante.
ATUAÇÃO POLÍTICA, MAS NUNCA ELEITOREIRA
E POR QUE FAÇA O QUE FAÇO? Costumam me indagar noutras palavras como fez em 2002, Patrícia Vasconcelos, então repórter da Rede Globo, numa matéria (veja neste link http://bit.ly/mt13UK )sobre “padrinhos” na Casa do Homem de Nazaré, instituição de amparo a crianças onde eu mesmo recebi ajuda e depois tive a oportunidade de ajudar. “É um sentimento de gratidão misturado com um sentimento de cidadania. De colaborar para que a gente tenha um país melhor de fato”, respondi-lhe. Ou seja, o que me move de verdade é o ideal de um país melhor, mas forte, desenvolvido. Na própria instituição servindo-lhe como consultor durante 2 anos procurei ajudá-la a se profissionalizar, ao mesmo trabalhei junto aos colaboradores o sentido de contribuir pensando também numa causa maior de país.
Mas há também uma ambição política? Bem, a resposta é não e sim. Não no sentido de que não é isso que me motiva a fazer o que eu faço. Não ajo atrelado a uma agenda político-eleitoral. E mais ainda o que eu faço como ação pública não é assistencialista, assim, não rende voto. Alias, sempre recebo críticas assim: “Rapz, sabe quando vc vai entrar pro mundo político? NUNCA!” Por quê? Porque eles gostariam que estivesse fazendo como muitospropaganda do governo, dos políticos, ao invés de fiscalizá-los. Respondi-lhe o que segue.
“Sim é claro ele [o blog] também tem os leitores como você do "mundo político" que vem aqui censurar este trabalho porque estão acostumados a uma cooperação que mantém debaixo do tapete a sujeira. Mas a minha lógica é outra eu não estou a serviço do mundo político, estou a serviço de uma cidade melhor, este é o meu compromisso, a minha lógica.” Link aqui http://bit.ly/jGN3AF
A questão de cargo em si não me mobiliza nadica de nada. Fosse o contrário eu já teria aceitado uma das muitas ofertas que sujem, porém comprometeria minha ação da maneira que a faço. Por isso rejeitei as ofertas. E não sou um bom político, no sentido do que é ser político em nosso país. Em um post: “Política Despolitizada” falo desse fazer política no país ( http://bit.ly/l35lEW ) e em “Cada povo tem o representante que... valoriza” ( http://bit.ly/jqZeJw ) também trato do assunto.
TRABALHEI CONTRA PEC DOS VEREADORES
NOVOS VEREADORES JÁ? SÓ COM NOVA ELEIÇÃOhttp://bit.ly/llr4Vu

A PEC DOS VEREADORES PARA OS SUPLENTES FOI SEPULTADA http://bit.ly/ki11pG

Vamos em frente. Muitos dos senhores edis entendem que representatividade é a sua: o número de apadrinhados que indicam para servir os seus interesses dentro do Executivo. E aí é o perigo de se aumentar apenas a pressão pelos interesses próprios com mais edis. Vejam senhores, a atuação tem que ser nobre e não pobre, tem que ter valor efetivo para o ilustre cidadão desconhecido lá da periferia de cada cidade desse Brasil ou senão o país tem que se questionar o que representa estes representantes?

CADA POVO TEM O REPRESENTANTE QUE... VALORIZA

O problema que enfrentamos com a legislação que quase impediu Minas de receber o investimento da AMBEV, evidencia um equivoco de valor. Como assim? Vejam: o que temos valorizado - celebrado- em nossos representantes-deputados? A capacidade que eles têm de conseguir essa e aquela verba, não é? Portanto, valor para nós de um deputado está nos $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ nos valores que ele é capaz de trazer. Pouco ou nada nos importamos com relação a sua atuação legislativa. Reconheçamos. Queremos um despachante de verbas. Mas, essa imaturidade democrática não é um problema particular da nossa região. Com graus maiores ou menores, essa é uma falha nacional http://bit.ly/jqZeJw


TESTEMUNHOS:
Testemunho do governador Anastasia
O governador Anastasia, teve a generosidade de me dar nota alta em testemunho: “Nota Mil”. Uma honra. Ele, o professor Anastasia, acompanha de perto a minha atuação – e é leitor assíduo. Como um homem público de bem sabe o valor que trabalho tem para a sociedade. (Ouça no link http://bit.ly/ja1CzW
Testemunho deputado Doutor Viana http://bit.ly/hG6TeY
“Nós tivemos uma parceria com o Leonardo, nós tivemos uma fraterna parceria com ideias boas que discutíamos, algumas a gente captou e junto com ele levamos às áreas governamentais. Inclusive, ele também tinha ideias boas com relação ao hospital. E nessa discussão, nessa transmissão de ideias, a gente viabilizou esse grande passo.”

Testemunho Presidente do sindicato metalúrgicos:http://bit.ly/jIzsRh
“O Leonardo Barros é um cara, Leonardo e a pedra angular aqui em Sete Lagoas. Muito simpático ele nos visita lá no sindicato de vez em quando É uma pessoa que a gente respeita pelo trabalho que ele faz. Ele tem um blog onde ele dá as notícias, e ele cobra, ou seja, cidadão, que parece não é de Sete Lagoas, mas se nós tivéssemos aqui uma meia dúzia de cidadão igual ele, talvez a Câmara dos vereadores e a prefeitura as coisas poderiam estar funcionando melhor” Ernane Dias, vice-presidente da Força Sindical Minas Gerais.

CONCLUSÃO
Para concluir reitero: quero ajudar a construir um país melhor, por isso procuro fazer das causas da sociedade as minhas causas pessoais. E esta é a motivação para eu participar desta louvável iniciativa: “Prêmio Bom Exemplo”. Acredito que ele cumpra bem esta função. Quanto às atitudes e ações que exponho para serem analisadas desejo que elas um dia não sejam exemplos, mas uma atitude comum em quem nós elegemos para nos representar. Por isso que eu espero que aos olhos de quem vai dar a última palavra, a população, essas ações sejam reconhecidas como um exemplo que eles gostariam de ver em nossos políticos. Isso é ambição de mais da minha parte ou pretensão demais minha? Bem, espero que seja uma boa e realizável ambição se júri julgá-las um “Bom Exemplo”, ainda que não seja um convencional.




ALGUMAS IMAGENS


Nós últimos 5 anos participei de 90% das reuniões da Câmara Municipal, Discuti inúmeras propostas com o governo do estado, deputados, vereadores...








Matéria sobre a em SEte Lagoas.






Aqui eu fazia pressão no governador pela instalação da Ambev no município.



Inauguração da Ambev


.

Seminário do PSDB em 2007 - Leonardo Barros, secretário do PSDB,
com Aécio e Maroca ao lado da sua esposa Márcia participaram do evento.

Antônio Anastasia, Leonardo Barros e José Serra no lançamento
da candidatura dele, Serra, em Minas em 2010.














Com a senadora Katia Abreu em Brasília













Dr. Viana fala da parceria com Leonardo.



Fala do Prefeito de Santana de Pirapama sobre Leonardo Barros


Testemunho do ex-prefeito Leone Maciel - Localização do Hospital Regional em construção:
Postar um comentário