terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

ONDA MUNDIAL DE PROTESTOS CÍVICOS CHEGA À SETE LAGOAS. OU, "FORA MAROCA"

Autor*
A onda de protestos populares que se espalha pelo mundo e já derrubou dois presidentes, começa a alcançar cidades brasileiras. Santo Antônio do Descoberto, em Goiás, onde o padre abrigou a população na igreja contra a repressão policial foi a primeira. E não sem razão, como verá o leitor, em Minas Gerais, Sete Lagoas entrou no calendário de reação cívica.

Insatisfeita com a gestão inepta do prefeito que não conseguiu tirar do papel nem o hospital com projeto pronto, que recebeu da gestão anterior, e o dinheiro disponibilizado pelo Governo do Estado, a população promete ir às ruas na sexta-feira (18).

A mobilização nascida na Internet reflete o clima de indignação popular. Os problemas da cidade se acumulam e vão do déficit estrutural com a urbanização à saúde, passando pelo drama do saneamento –, a população mais humilde chega ao ponto de ter que recorrer às bicas para abastecimento de água de suas residências, enquanto quem pode, vive a base de água mineral até para fazer comida, porque a que é fornecida pela autarquia municipal é péssima e vive faltando.

O prefeito Mário Márcio, o Maroca, já recebeu puxão de orelha até do seu correligionário, o governador Anastasia (PSDB), por conta da demora em construir o Hospital Regional. Não adiantou. O início das obras do hospital acaba de ser adiado mais uma vez por erro da prefeitura na confecção do Edital que não se sabe fruto só da incompetência de costume ou da tentativa de prática lesiva aos cofres públicos - o TCE-MG vai apurar. O certo é que em nota oficial a prefeitura já fez um mea-culpa, admitindo o erro vejam:

- O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, após manifestação da Diretoria de Engenharia e Perícia, determinou, de modo cautelar, a suspensão do processo licitatório referente a construção do Hospital Regional. (...) CASO O TRIBUNAL DE CONTAS NÃO DÊ PROVIMENTO AO RECURSO INTERPOSTO PELO MUNICÍPIO, TODAS AS MEDIDAS PARA ATENDIMENTO AO DETERMINADO CAUTELARMENTE PELO TCE JÁ ESTÃO EM CURSO.”

Sim, é triste ver uma das mais belas cidades de Minas, a 60 KM de BH, refém de governantes que têm encerrado as últimas gestões sempre em crise institucional. E o leitor pode dizer, não sem razão, que a população é a responsável porque os escolheu. Porém, conhecendo a política praticada no município pode-se dar um desconto ao povo.

O problema é que a cidade ainda tem muito da velha oligarquia-coronelista. E a imprensa local, com louváveis exceções, infelizmente, deixa a desejar. Veja que o prefeito hoje no cargo disputou e quase venceu a eleição em 2004, acabou virando um mito pela omissão crítica nos quatros anos seguintes, entre essa candidatura a prefeito e sua eleição (2008). Ou seja, nesse intervalo alimentou-se certas fantasias sobre o mesmo, ao invés de procurar conhecer melhor a sua visão, seus valores e suas reais intenções.

Mas ao que parece, esse triste destino de Sete Lagoas pode ser alterado também pela onda que faz os povos acordarem e reagirem através de um grito cívico e pacífico contra a tirania e o marasmo.

Autor*:
Leonardo Barros, 40, é consultor e escreve sobre assuntos de interesse público, nós últimos 4 anos dedicou-se a estudar e propor soluções para os problemas e oportunidades de Sete Lagoas. Suas contribuições são conhecidas por grande parte da sociedade de Minas Gerais, entre as pessoas que reconhecem a sua luta estão o governador Anastasia (PSDB) - veja aqui - e o deputado doutor Viana (DEM) - veja aqui .

ATUALIZAÇÃO, 17/02/10, às 13:38 - JORNAL DE BH PUBLICOU MATÉRIA SOBRE A PASSEATA DE SETE LAGOAS AMANHÃ

COM LICENÇA, ADILSON, PARA INFORMAR: JORNAL O TEMPO PUBLICOU MATÉRIA SOBRE A NOSSA PASSEATA NO JORNAL IMPRESSO, QUE ESTÁ NAS BANCAS HOJE. E CLARO A MATÉRIA ESTÁ TAMBÉM EM SUA EDIÇÃO ELETRÔNICA NA INTERNET, LEIAM AQUI -observo apenas que o jornal cometeu um equivo ao editar o texto que lhes encaminhei, escrevendo: "a péssima SL". Quanto ao mais tudo bem e promove a nossa passeata de amanhã.
Postar um comentário