sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Aproximadamente 70 pessoas realizam manifestação no centro da cidade

Do Sete Lagoas.com:

Observação: tenho reparos a essa matéria sobre a passeata, faço-os em outro post, segue o texto:
Foi realizada na tarde de hoje uma manifestação contra o Prefeito Mário Márcio Campolina, o “Maroca”, que de acordo com a polícia contou com a presença de 70 participantes, embora os coordenadores esperassem um maior número de pessoas.
A manifestação saiu da Praça Tiradentes (em frente ao Casarão), passou pela Monsenhor Messias, seguindo pela frente da Praça do CAT e pela Rua Doutor Emílio de Vasconcelos para chegar na pracinha da prefeitura pela rua Professor Teixeira da Costa.

Entre os manifestantes estava Leonardo Barros, político da cidade que nas eleições de 2010 se candidatou a Deputado Estadual pelo PPS, obtendo 503 votos em Sete Lagoas.

Leonardo informou que sua participação na manifestação não tinha cunho político. Ele disse ainda estar cumprindo um dever cívico, sem nenhuma relação eleitoral.

Mesmo assim, Leonardo esteve durante quase toda a manifestação carregando a primeira faixa do movimento, que curiosamente continha os dizeres “Por amar Sete LAgoas radicalmente, estamos a procura de um lider".

Ao centro, Leonardo Barros carrega faixa durante manifestação


Porém Leonardo fez questão de informar que a manifestação era formada e convocada pela Sociedade Civil e que ninguém tinha o papel de liderança. E fez questão de apontar a grande participação de estudantes e pessoas de todas as idades e condições políticas.

Leandro Pessoa Teixeira, advogado e morador do bairro São Cristovão foi um dos organizadores do evento.

Ele destacou algumas das reivindicações do grupo, como a falta de capina nos canteiros centrais, o mato pela cidade e os buracos pelas ruas.

Leandro também reclamou da falta de fiscalização e recolhimento de lixo e entulho pelas ruas da cidade. “O básico não foi feito, mesmo o problema dos buracos nas ruas, que são anteriores a gestão do Maroca, não tiveram a mesma atenção por parte da prefeitura” avaliou.

Durante a passeata, foram poucos os apoios explícitos aos manifestantes fora da organização. Uma das pessoas que assistiu de perto foi a comerciante de uma loja na região central da cidade, Valéria da Silva. Ela conta que achou pertinente a participação da população, que deve reivindicar melhorias para cidade. “Meu bairro também tem problemas e eu acho importante as pessoas falarem sobre isso”, afirma.

Mateus Vieira conta que a manifestação teve origem a partir de uma comunidade na internet que discute a atual administração de Sete Lagoas. Ele relara que com apenas cinco dias já tinha mais de mil pessoas integradas a discussão. Mateus afirma que o objetivo da mobilização é chamar atenção do atual prefeito quanto aos problemas da cidade. “A gente não quer tirar o prefeito. A gente só quer mostrar algumas coisas que estão erradas desde outras administrações e que não estão merecendo destaque nesta gestão”, explica.

A estudante Julie Ludmila explica que a mobilização tem cinco pilares fundamentais que são a saúde, o saneamento básico, a construção do Hospital Regional, o problema das ruas da cidade e falta de capina em determinados bairros. “A gente está de olho em vários problemas da cidade que estão em praticamente todos os bairros. Nos pretendemos continuar com a ação para que seja feita uma maior fiscalização da cidade” afirma.

Manifestantes em frente à prefeitura

Ao chegar na frente da prefeitura os manifestantes pediram a presença do prefeito porém, de acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, o prefeito estava em agenda oficial em Belo Horizonte e não pode atender os manifestantes.

Dois representantes do movimento foram recebidos por representantes da prefeitura e foram informados que serão convidados a se reunirem com o prefeito para exporem suas reivindicações.
Postar um comentário