segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

TRAGÉDIA E MEIA


O senador Eliseu Resende (DEM) de oposição (a esquerda) deixa a cadeira
do senado para o situacionista Clésio Andrade do PR.
Uma pela morte do senador Eliseu Resende em si, tratava-se de um grande homem público. Uma é meia pela a sua perda somada a perda de mais um opositor no Congresso. Porque quem vai ocupar sua vaga é o presidente da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e ex-vice-governador de Minas Gerais no primeiro mandato de Aécio Neves (PSDB), o Clésio Andrade (PR). Um sujeito alinhadíssimo ao governo federal. Consequências: o rolo compressor do governo aumenta mais um pouco, sobretudo, por se tratar do senado, onde serão escassos parlamentares de oposição. Ah, sim: Aécio também perde um aliado e força, e pode ter como futuro colega alguém que NÃO irá se alinhar com ele como Eliseu Resende (DEM). Este devia a própria chegada ao cargo ao peessedebista que o impulsionou em 2006, lembram-se, uma virada dele sobre do Newtão com a ajuda Aécio. Isso sem contar que Eliseu seria uma peça muito importante na costura de Aécio com os Democratas para 2014. É... para Aécio é uma dupla tragédia.
Postar um comentário