terça-feira, 16 de novembro de 2010

PROFESSOR ANASTASIA DEIXA MAIS CLARA SUA POSIÇÃO SOBRE A CPMF - ELE QUER É REFORMA TRIBUTÁRIA. QUE BOM!

POR PAULO PEIXOTO, NA FOLHA:

Doze dias depois de dizer que era favorável à volta da CPMF "aperfeiçoada", o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), afirmou nesta terça-feira que "felizmente" o governo federal recuou da intenção porque "a carga fiscal de fato já é alta".

O tucano defendeu uma ampla reforma fiscal e tributária, que discuta o financiamento da saúde.

A declaração anterior do governador de Minas, reeleito em primeiro turno no mês passado, destoava dos seus colegas do PSDB de São Paulo e Paraná --respectivamente os governadores eleitos Geraldo Alckmin e Beto Richa. Anastasia tirou uma semana de férias e retornou ao trabalho hoje, com outra posição.

Ao ser questionado sobre a volta do tributo, disse: "Parece que o assunto já está encerrado de maneira clara. A posição nossa tem sido favorável a ampla reforma fiscal. Não é possível criar um tributo isoladamente. O governo federal felizmente recuou do tema, então, o tema está encerrado, felizmente, até porque a carga fiscal de fato já é alta. Nós defendemos a ampla reforma fiscal".

Ele defendeu que reforma tributária tenha "como fundamento uma redistribuição dos recursos entre os Estados e municípios", de forma que a União não concentre tantos recursos. A questão da saúde, disse ele, "deve ser discutido dentro dessa ampla reforma".

"Discutirmos um tributo isoladamente, naturalmente, isso não vai levar a nada neste momento", afirmou o governador mineiro, revendo sua posição.

Ele completou: "De fato, é um assunto encerrado, mas é bom lembrarmos que nós defendemos e voltamos a insistir muito numa ampla reforma tributária no Brasil, onde todas as políticas públicas, como saúde, educação devem ser discutidas. E, no caso de Minas, reitero, uma preocupação muito grande com a política tributária relativa aos minérios, porque nós temos problemas com os royalties, como também no ressarcimento da Lei Kandir".
Postar um comentário